Bob Dylan está a contar ir à cerimónia de entrega do Prémio Nobel da Literatura em Estocolmo, na Suécia. “Absolutamente. Se for possível”, disse o cantor em entrevista ao diário britânico The Telegraph. É a primeira vez que Dylan fala publicamente sobre o prémio, que foi anunciado a 13 de outubro.

Bob Dylan, que até agora ainda não tinha feito qualquer comentário sobre a distinção, diz-se satisfeito por ter sido laureado pela Academia Sueca. “É difícil de acreditar”, afirma, descrevendo o momento em que soube da notícia como “maravilhoso e incrível”.

De acordo com o jornal inglês, Dylan está divertido com a polémica que tem rodeado a atribuição do Nobel da Literatura deste ano. E responde com simplicidade às tentativas frustradas da academia de o contactar: “Bem, eu estou aqui.”

E sente-se Dylan confortável com o facto de o seu nome estar agora ao lado de grandes nomes da literatura mundial? “Penso que sim, de certa forma. Algumas canções — “Blind Willie”, “The Ballad of Hollis Brown”, “Joey”, “A Hard Rain”, “Hurricane” e algumas outras — são, definitivamente, homéricas”, responde o cantor.

Na entrevista, assinada pela jornalista Edna Gunderson, Dylan fala ainda sobre as pinturas que faz e que estão em exposição em Londres até meio de dezembro.

“Tudo o que vale a pena demora tempo. Tens de escrever cem más canções até escreveres uma boa. E tens de sacrificar muitas coisas que não estás preparado para sacrificar. Gostes ou não, estás nisto sozinho e tens de seguir a tua própria estrela”, diz por fim.