Conhecidos hoje em dia como os autênticos e os verdadeiros desportivos BMW, fruto do trabalho da divisão de competição BMW Motorsport, o número de modelos M da marca bávara não deverá conhecer qualquer alteração nos tempos mais próximos. Isto porque, relevou um alto responsável da BMW à CarAdvice, a aposta vai passar a centrar-se, preferencialmente, nas versões com kit M Performance.

Em declarações à revista, o vice-presidente da BMW para as Vendas Globais e Marketing, Peter Quintus, fez a distinção: “Um BMW M é um automóvel sem qualquer tipo de compromissos, um modelo de precisão, agilidade, performance… para ser utilizado em pista. Um modelo M está totalmente preparado para disputar corridas.” Ao passo que um modelo com um pack M Performance “é o pico do carácter desportivo na BMW, mas, ao contrário de um M, não é para ser utilizado em pista”.

Porquê esta opção? Segundo Quintus, porque “os clientes querem conforto e querem poder utilizar o seu carro no dia-a-dia. Se possível, conduzindo um modelo à sua imagem e com uma sonoridade desportiva”.

Mas até do ponto vista financeiro, esta estratégia de apostar nas versões M Performance, em detrimento de puros M, é vantajosa. Desde logo, porque implica um menor investimento, não raras vezes com maiores lucros, do que fabricar uma única variante M, reconhece o responsável da BMW.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Depois, há também as limitações impostas pela “filosofia M”, argumenta Quintus, notando que antes de surgir uma proposta de essência desportiva, a marca tem de “pensar muito”, porque essa filosofia pura e simplesmente “não se aplica a todos os carros”.

Recordando que fazer uma versão M não passa apenas por tornar o motor mais potente e colocar rodas mais largas – como exemplo, o mesmo responsável aponta o caso do M4 Coupé que, face ao Série 4 dito normal, apresenta alterações em cerca de 80% dos seus componentes –, o vice-presidente da BMW assume que a marca deverá passar a oferecer versões M Performance também naquele que é um dos segmentos que mais procura tem hoje em dia – o dos SUV. “Propor versões M Performance de modelos como o X3 ou o X4 faz todo o sentido e, de resto, estamos a trabalhar nessa direcção”, antecipa Peter Quintus.