O Tribunal Arbitral do Desporto suspendeu o processo disciplinar emitido em novembro pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) contra Luís Filipe Vieira, anunciou o Benfica num comunicado publicado no site do clube.

A decisão do Conselho de Disciplina foi proferida a 15 de novembro, tenho Luís Filipe Vieira avançado com uma providência cautelar. “Ouvidas as partes, entendeu, por posição unânime do colégio de árbitros, o Tribunal Arbitral do Desporto julgar procedentes, por provadas, as razões invocadas pelo Presidente do SLB na apresentação da sua providência cautelar, tendo determinado a suspensão imediata do ato decisório”, anunciou o clube.

“Face a esta deliberação, o Presidente do SLB assume no imediato a plenitude dos seus direitos no exercício das suas funções”, pode ler-se no comunicado.

O presidente do Benfica foi suspenso por 60 dias por causa de um episódio que remonta a 21 de agosto deste ano. Após um jogo com o Vitória de Setúbal, Luís Filipe Vieira dirigiu-se ao vice-presidente do Conselho de Arbitragem da FPF, João Ferreira, tecendo fortes críticas a Manuel Oliveira, que arbitrou a partida.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na altura, foi dado como provado que o presidente do Benfica tinha confronto João Ferreira, tendo questionado a escolha de um árbitro que “tinha roubado três penáltis ao Benfica na época passada”. Segundo o organismo, a postura do presidente violou “a dignidade e a honra profissionais” do agente de arbitragem e da “competição desportiva”, criando um “manto de suspeição sobre a atuação do árbitro e do próprio Conselho de Arbitragem”.

Num comunicado então divulgado, Luís Filipe Vieira recusou ter proferido “quaisquer expressões injuriosas ou grosseiras”, limitando-se a questionar “os critérios do Conselho de Arbitragem da FPF que haviam determinado a nomeação de tal árbitro”.