O ex-Presidente da República Mário Soares continua em estado crítico, tendo sofrido uma regressão do seu estado de consciência “muito significativa e preocupante”, anunciou este domingo, à hora de almoço, o porta-voz do Hospital da Cruz Vermelha, que diz que Mário Soares não reage a alguns estímulos externos. Mais tarde, o sobrinho Eduardo Barroso, afirmou que do ponto de vista físico “está tudo muito bem”, o problema é cognitivo.

“O estado de saúde do Presidente Mário Soares continua a ser muito crítico. Não registou grande evolução desde ontem, relativamente ao seu estado clínico, mantendo-se sem necessidade de suporte técnico às funções vitais. Verifica-se contudo uma regressão do seu estado de consciência muito significativa e preocupante, que coloca fortes reservas em relação ao prognóstico futuro”, explicou o porta-voz do Hospital da Cruz Vermelha.

Questionado pelos jornalistas sobre se Mário Soares tinha piorado face a dia 13, quando deu entrada no hospital, o porta-voz do Hospital da Cruz Vermelha diz que “há um agravamento do estado de saúde de Mário Soares” e que a situação é crítica. O responsável adiantou ainda que só irá dar novidades sobre o estado de saúde do antigo Presidente da República na segunda-feira, pelas 13h00.

Horas mais tarde, de visita ao hospital, o sobrinho de Mário Soares, Eduardo Barroso, afirmou à comunicação social, porém, que o problema do tio não é físico, mas sim cognitivo.

“Está tudo a funcionar muito bem, o rim a funcionar muito bem, o fígado a funcionar muito bem, o pulmão a funcionar muito bem. Corrigiu uma anemia porque tinha uma hemorragia que provocou isto. Tudo muito bem. O nível da hemoglobina está ótimo, muito bem”, garantiu, logo acrescentando que “o que interessa é daqui para cima [apontando para o pescoço]”.

E daqui para cima, o tio Mário já não é o tio Mário há muitos meses, para mim. Porque, para mim, o tio, ou o pai, o primo, tem de ter uma interação cognitiva, falar, conversar, saber o que está a fazer, ter opiniões, afetos, e isso acabou há muito. Não acabou agora, acabou há muito”, detalhou.

O estado de saúde do antigo Presidente da República socialista agravou-se subitamente pelas 11h00 de sábado, na sequência de um “episódio agudo” que obrigou a equipa médica a transferi-lo novamente para a unidade de cuidados intensivos, em estado crítico e com prognóstico que passou de reservado a muito reservado.

De acordo com informações divulgadas às 16h de sábado pelo Hospital da Cruz Vermelha o estado de saúde do ex-Presidente da República agravou-se esta manhã na sequência de um “episódio agudo” que levou a equipa médica a transferi-lo novamente para a unidade de cuidados intensivos. Soares ficou em estado considerado “crítico” e com “prognóstico reservado”.

O atual Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, esteve alguns minutos no hospital a cumprimentar a família, ao início da tarde de sábado. No final da visita, onde esteve com a filha de Soares, Isabel, o chefe de Estado não fez declarações aos jornalistas. Também o primeiro-ministro António Costa, acompanhado da mulher, foi cumprimentar a família por volta das 16h00.

Já no Barreiro, onde esteve esta tarde numa celebração de Natal, Marcelo Rebelo de Sousa não se quis alongar sobre a condição de Soares, mas fez elogios ao histórico fundador da PS. “Todos nós, portugueses, estamos muito gratos àquilo que Mário Soares tem dado, e deu, ao país. Já várias pessoas estiveram a favor e outras contra, mas há pessoas que marcam a nossa democracia. E o povo em geral está grato relativamente a essas figuras, não é preciso ser-se da mesma cor para reconhecer aquilo que têm feito pelo país”, disse. “Era só isto que queria dizer hoje”, rematou.

Também o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, falou ao início da tarde de sábado com João Soares, filho do fundador do PS, que, segundo a agência Lusa, lhe deu conta da situação clínica do pai.

Mário Soares está internado na Cruz Vermelha desde o dia 13 de dezembro. O histórico fundador do PS, com 92 anos, tinha registado melhorias da situação clínica tendo saído dos cuidados intensivos na quinta-feira, passando para a “unidade de internamento em regime reservado” do Hospital da Cruz Vermelha.

Na altura, o hospital anunciou que Mário Soares se irá manter “sob vigilância continuada a cargo da equipa clínica multidisciplinar que o acompanhou na Unidade de Cuidados Intensivos”. Segundo o hospital, o internamento em “regime reservado” permite apenas visitas de familiares. As aparentes melhorias foram interrompidas este sábado com um alerta de que o estado de saúde tinha piorado significativamente esta manhã.