Numa entrevista à BBC Radio 4, a editora de política da BBC, Laura Kuenssberg, contou que uma fonte lhe disse antes do referendo de 23 de junho que a rainha Isabel II era a favor da saída do Reino Unido da União Europeia. De acordo com aquela fonte, a monarca disse num almoço privado: “Não vejo porque é que não possamos sair. Qual é o problema?”.

A informação ter-lhe-á sido passada “numa conversa informal” com um dos seus contactos. “Sabes que mais? A qualquer altura isto vai sair e eu estou a contar-te isto agora sem saber se a BBC lhe vai tocar, mas a rainha disse a algumas pessoas num almoço privado que ela acha que devemos sair da UE”, terá dito essa fonte à editora de política da BBC.

“O meu queixo bateu no chão”, disse Laura Kuenssberg enquanto recordava aquele momento. Na mesma entrevista, que foi para o ar na segunda-feira, Laura Kuenssberg contou como tentou, em vão, confirmar aquela informação junto de outras fontes. “Com muita pena minha, só tinha uma fonte. Passei os dias seguintes a tentar provar aquilo. Não consegui encontrar as provas”, admitiu.

Poucos meses depois, o tabloide The Sun acabou por publicar um artigo com uma chamada na primeira página que dizia: “A Rainha apoia o Brexit”.

Primeira página do The Sun de 9 de março de 2016: "A rainha apoia o Brexit"

Primeira página do The Sun de 9 de março de 2016: “A rainha apoia o Brexit”

No artigo publicado a 9 de março (e a 8 de março no site do The Sun), é escrito que a rainha Isabel II teve uma “discussão acesa” com Nick Clegg, nos tempos em que este era vice-primeiro-ministro no primeiro Governo liderado por David Cameron, entre 2010 e 2015. O artigo não oferecia citações diretas da rainha, mas antes relatos feitos por uma “fonte altamente confiável” em discurso indireto do que a rainha terá dito. Nick Clegg disse que não se lembrava daquele episódio.

Além disso, aquele tabloide referia que numa outra ocasião, em que a rainha Isabel II esteve reunida com alguns deputados, a monarca voltou a demonstrar sinais de euroceticismo. Segundo “fonte parlamentar” citada pelo The Sun, a rainha disse: “Eu não entendo a Europa”. “Aquilo foi dito com bastante veneno e emoção, nunca hei de esquecê-lo”, disse essa fonte.

Naquela altura, o The Sun contactou o Palácio de Buckingham, que recusou comentar o conteúdo do artigo. “A Rainha mantém-se politicamente neutra, tal como tem feito ao longo de 63 anos. Nós nunca comentaríamos afirmações ilegítimas feitas por anónimo”, lia-se na reação. Além disso, o artigo motivou uma queixa formal do Palácio de Buckingham à IPSO, o órgão regulador da comunicação social no Reino Unido.

A IPSO deu razão à queixa da casa real britânica, que se queixava de a notícia ser “imprecisa”, e ditou que o The Sun publicasse o seu veredito. O texto dessa decisão pode ser lido no site da IPSO ou no início da notícia do The Sun disponível no seu site.