Pobreza

Oito bilionários têm tanto como metade da população mundial junta

4.083

A desigualdade está a crescer e de que maneira. Segundo a Oxfam, os 1% mais ricos têm uma riqueza superior à do resto do planeta. Só oito pessoas têm tanto como metade da população mundial.

AFP/Getty Images

Autor
  • Nuno André Martins
Mais sobre

As oito pessoas mais ricas do mundo têm tanta riqueza como metade da população mundial. Os 1% mais ricos têm uma riqueza superior à do resto do mundo. Seja qual for a forma escolhida para olhar para esta questão, de acordo com a Oxfam, o resultado é sempre o mesmo: a desigualdade está a aumentar.

Num trabalho preparado para ser apresentado no Fórum Económico Mundial — que junta os mais ricos do planeta esta semana em Davos, na Suíça, a partir de hoje à noite –, a Oxfam, uma confederação de 18 organizações de solidariedade que tem como principal missão a redução da pobreza, revela que as desigualdades têm vindo a aumentar, apesar do compromisso dos líderes mundiais para a combater.

Os dados compilados pela Oxfam mostram que existe um desequilíbrio cada vez maior entre os mais ricos e o resto do planeta e essa discrepância tenderá a aumentar nos próximos anos. Entre os principais dados citados, a Oxfam diz que:

  • Desde 2015 que os 1% dos mais ricos detinham mais riqueza que o resto do planeta.
  • Oito pessoas têm agora tanta riqueza como a metade mais pobre da população mundial.
  • O rendimento dos 10% mais pobres aumentou menos de três dólares por ano entre 1988 e 2011, enquanto o dos 1% mais ricos aumentou 182 vezes este valor.
  • O presidente de uma empresa que esteja no principal índice da Bolsa de Londres ganha tanto por ano como 10 mil trabalhadores de uma fábrica no Bangladesh.
  • No Vietname, o homem mais ganha mais num dia que a pessoa mais pobre ganha numa década.
  • Nos próximos 20 anos, 500 pessoas irão deixar aos seus herdeiros cerca de 2,1 biliões de dólares, uma soma maior que a economia da índia, ou mais de 10 vezes maior que a economia portuguesa.

Segundo a Oxfam, a culpa da crescente desigualdade deve-se aos constrangimentos que têm sido colocados, de forma agressiva, sobre o crescimento dos salários mais baixos, à evasão fiscal e ao controlo cada vez mais agressivo dos custos, que esmagam os os produtores, com a confederação a acusar as empresas de estarem demasiado concentradas em dar rendimentos mais elevados aos seus accionistas.

Por tudo isto, o grupo dos oito mais ricos – composto por Bill Gates, Amancio Ortega (fundador da Zara), Warren Buffet, Jeff Bezos (da Amazon), Mark Zuckerberg (Facebook), Larry Elison (Oracle) e Michael Bloomberg -, têm agora mais riqueza acumulada que a metade mais pobre da população mundial.

Em 2016, era necessário juntar a riqueza dos 62 mais ricos para chegar a este número, mas o maior concentração de riqueza entre os mais ricos e novos dados sobre a pobreza na China e na Índia mostram que a situação é pior do que se pensava, o que faz com que os 50% mais pobres estejam ainda em pior situação do que o que se calculava antes, mais ainda quando se compara com o grupo dos principais bilionários.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)