Masaya Nakamura morreu no passado dia 22 de janeiro com 91 anos. O fundador da empresa Namco, 1955, foi responsável pelo lançamento daquele que foi o jogo de arcada mais jogado em máquinas de moedas: o Pac-Man.

image

A empresa Bandai Namco, que surgiu em 2005 com a junção de duas empresas de jogos, confirmou esta segunda-feira a morte do “pai do Pac-Man”. O jogo foi posto à venda em 1980, numa altura em que não existiam muitos jogos para concorrer com este sucesso que ainda é bastante popular em pleno ano de 2017. É estimado que o jogo tenha sido jogado mais de 10 milhares de milhões de vezes, sendo este o detentor do recorde, no Guinness World Record, como o jogo de arcade de maior sucesso em máquinas que funcionam a moedas.

O jogo consiste em controlar uma pequena bola que percorre vários caminhos para engolir pontos no ecrã, evitando ou “comendo” os fantasmas que o tentam destruir. Quando o jogador é apanhado por um fantasma, morre. A ideia para desenhar o Pac-Man surgiu de uma fatia de pizza com uma dentada que levou Nakamura a atribuir o nome “Pac” (em japones: pakku) para representar o som que o boneco faz ao trincar os pontos que tinha de comer.

Toru Iwatani, engenheiro e criador de jogos de vídeo da Namco, incluindo o jogo Pac-Man, disse, em 2015 na estreia do filme Pixels, que “o Pac-Man é um jogo amigo do jogador, com montes de cores e personagens queridas, e é por isso que foi amado por muito tempo”. O filme tinha como uma das personagens o icónico boneco do jogo. O jogo Pac-Man foi inicialmente lançado para as plataformas Nintendo e, mais tarde, começou a ser adaptado para todas as outras plataformas.

Nakamura foi uma peça fundamental no crescimento da empresa que, apesar de ter reportado a morte do criador, informou que não iria comentar mais nada sobre o assunto a fim de respeitar os desejos da família. A empresa confirmou apenas que foi realizado funeral privado, organizado pela e para a família, mas irá decorrer ainda uma cerimónia em separado.