Os trabalhadores da Imprensa Nacional Casa da Moeda (INCM) realizam, esta terça-feira, uma greve parcial e uma concentração junto à empresa, em defesa de aumentos salariais e contra a retirada de direitos. “Esta paralisação visa exigir o aumento dos salários, que há mais de 7 anos não são atualizados, bem como o cumprimento dos direitos consagrados no Acordo de Empresa (AE), que a administração pretende pôr em causa”, disse à agência Lusa Navalha Garcia, dirigente Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras (SITE).

Segundo o sindicalista, a administração da empresa quer fazer “uma revisão global do AE e instituir piores condições de trabalho, sem propor qualquer aumento salarial”.

Os trabalhadores da INCM queixam-se de ter os salários congelados desde 2010 e, por isso, vão fazer greve entre as 14h e as 18h desta terça-feira. Os funcionários do turno da manhã paralisam nas duas últimas duas horas de trabalho (das 14h às 16h), enquanto os do turno da tarde param nas duas primeiras (entre as 16h e as 18h). A INCM é uma empresa do Setor Empresarial do Estado e tem 653 trabalhadores.