Um incêndio deflagrou em dois armazéns com enxofre nas instalações da fábrica da Sapec desde as 03h00 esta terça-feira, em Mitrena, no concelho de Setúbal, segundo fonte do Centro Distrital de Operações de Socorro de Setúbal.

Entretanto a Sapec informou que o incêndio já se encontra em fase de rescaldo e que “a situação está completamente controlada”, com o segundo armazém a ser demolido por razões de segurança. Os seis feridos ligeiros do incêndio também já tiveram alta hospitalar.

A nuvem de fumo tóxico provocado pelo incêndio foi a principal prioridade das autoridades, deslocando-se no sentido de Lisboa, embora sem qualquer perigo de intoxicação. Segundo a Direção Geral de Saúde a qualidade do ar já está dentro dos valores de referência e as populações locais não correm qualquer tipo de riscos, entre os quais intoxicação.

Não há registo de vítimas mortais, no entanto, cinco bombeiros ficaram feridos com queimaduras leves na sequência do combate às chamas. Um deles, do corpo de Bombeiros Sapadores de Setúbal, apresentou ferimentos mais graves e foi transportado para o Hospital de São José, em Lisboa.

“Durante o combate ao incêndio, cinco bombeiros sofreram queimaduras ligeiras, mas nenhum caso inspira cuidados” disse o coordenador da Proteção Civil Municipal de Setúbal, José Luís Bucho.

As aulas no politécnico de Setúbal foram suspensas de manhã e algumas escolas perto do local foram fechadas por precaução. A aulas nestes estabelecimento de ensino devem de voltar à normalidade no período da tarde. Nas localidades próximas, nomeadamente nas freguesias de Praias do Sado e Faralhão, freguesia de Gambia, Pontes e Alto da Guerra, as autoridades aconselharam os habitantes a permanecerem em casa e a vedar as portas, janelas e fachadas com panos húmidos, devido à possível exposição e inalação do fumo.

Ao final da manhã esteve no local o diretor geral da empresa, João Martins, que afirmou que “a atividade da empresa não ficou em causa, a fábrica está a funcionar e a produção de enxofre será reposta” a curto prazo. O diretor geral confirmou que o armazém, onde ocorreu o incêndio, ficou totalmente destruído. A presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria Meira, também se deslocou-se às instalações da Sapec para averiguar a situação.

No local estão ainda os 45 elementos de várias corporações de bombeiros, apoiados por 17 veículos, além de 30 elementos e dez máquinas da fábrica que produz adubos agroquímicos. Às 06h40, o incêndio no armazém de enxofre, um produto abrasivo e tóxico, ainda se mantinha ativo. No local estavam àquela hora bombeiros dos Sapadores de Setúbal, dos voluntários de Setúbal com a ajuda de meios dos bombeiros de Águas de Moura, Pinhal Novo, Palmela, Barreiro e Setúbal.