O comércio externo dos países do G-20 continuou a crescer nos últimos três meses de 2016, o que acontece pelo terceiro trimestre consecutivo, avançou esta terça-feira a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).

Apesar do aumento dos preços das matérias-primas e a da recuperação das exportações na China, o comércio externo dos G-20, os principais países do mundo, manteve-se na ordem dos 10%, embora abaixo do nível anterior à crise de 2008, refere a instituição em comunicado.

Segundo os dados hoje publicados pela OCDE, as exportações do G-20 aumentaram 1,5% no quarto trimestre do ano passado, depois de ter registado um crescimento de 0,3% no trimestre anterior.

As importações, por seu turno, subiram 0,8 %, a um ritmo ligeiramente superior aos 0,7% ao observado no terceiro trimestre de 2016.

A China, o primeiro exportador mundial, vendeu 0,9% ao exterior nos últimos três meses do ano, depois de quatro trimestres consecutivos de queda.

As importações chinesas, por sua vez, cresceram a um ritmo superior (3,6 %), o que levou ao menor excedente comercial desde o terceiro trimestre de 2014.

Já as exportações cresceram 1,3 % na Alemanha, no período em análise, subiram 0,8% no caso do Japão, aumentaram 0,8% nos Estados Unidos e cresceram 0,7% na Itália.