O vice-Presidente de Angola, Manuel Vicente, exortou esta sexta-feira as 65 instituições de ensino superior do país a promoverem a qualidade e valorização do corpo docente como objetivo para o novo ano académico, que arrancou oficialmente esta sexta-feira.

Segundo dados divulgados por Manuel Vicente no ato oficial de abertura do ano académico de 2017, que decorreu esta sexta-feira no Caxito, província do Bengo, as 24 universidades públicas e 41 privadas disponibilizaram este ano 111.086 vagas para o ensino superior.

Com as vagas ainda em fase de preenchimento, o vice-Presidente da República recordou que em 2016 estavam inscritos no ensino superior em Angola 241.284 estudantes, um aumento de 9,2% face ao ano anterior.

“O ensino superior tem conhecido um crescimento quantitativo notório. É de salientar, no entanto, que o crescimento quantitativo que se verifica deve ser acompanhado de um esforço que promova a qualidade”, exortou Manuel Vicente.

Em 2015 saíram das universidades e institutos superiores angolanos mais de 14.000 licenciados, um crescimento de 18,9% face ao ano académico anterior, com o governante a sublinhar a necessidade de uma aposta na “valorização dos recursos humanos”, nomeadamente ao nível dos professores.

“É essencial dotar cada instituição de ensino superior de um corpo docente forte, engajado e comprometido, técnica e profissionalmente, que se desenvolva com os demais níveis do sistema de educação e ensino”, disse Manuel Vicente.

“Para que os resultados sejam, a breve trecho, cada vez mais evidentes e significativos”, acrescentou.

O Governo angolano prevê gastar 80.570 milhões de kwanzas (mais de 460 milhões de euros) com o ensino superior público em 2017, o equivalente 1% de todas as despesas orçamentadas para este ano, um aumento de quase 20% face a 2016.

Cerca de 10 milhões de angolanos frequentam atualmente as escolas e universidades do país, nos vários níveis de ensino.