Construtor que, tal como grande parte dos rivais, tem procurado responder afirmativamente à crescente procura de SUV, fortalecendo a sua oferta neste âmbito, a Audi chegou entretanto à conclusão que este tipo de propostas poderá vir a representar metade das suas vendas mundiais. E num futuro não tão distante quanto isso.

A expectativa foi manifestada pelo principal responsável pelas Vendas e Marketing da marca dos quatro anéis, Dietmar Voggenreiter, que afirmou acreditar que “o peso dos SUV continuará a aumentar no futuro”. Descrevendo mesmo como “não descartável” a possibilidade de este tipo de veículos vir a representar metade das vendas globais do fabricante de Ingolstadt.

Estas afirmações surgem numa altura em que os SUV valem já um terço das vendas globais da marca premium do Grupo Volkswagen, chegando mesmo aos 40% na China e aos 47% nos EUA. Resultado destes números, a Audi, que só em 2016 vendeu 622 mil SUV, 278.968 dos quais apenas do modelo Q5, decidiu-se já por um aumento da sua oferta SUV, passando dos actuais quatro modelos para nove.

Dois modelos novos para 2018

A Audi tem previsto lançar, já no próximo ano, um novo topo de gama para a sua família Q, denominado Q8, que terá por base o concept exibido, em Janeiro, no Salão de Detroit. Protótipo que voltou, de resto, a estar em destaque no mais recente Salão de Genebra, que teve lugar já este mês de Março, numa versão mais evoluída e já equipada com tecnologia híbrida de 48V.

Também agendado para 2018 está o lançamento de um novo SUV e-tron, eléctrico, assim como do novo SUV coupé compacto Q4. Este último inspirado no TT offroad desvendado no Salão de Pequim de 2014.

Entretanto, e no imediato, a Audi está a lançar nos mercados a segunda geração do seu SUV best-seller, o Q5, ao mesmo tempo que prepara a introdução, já em 2018, da nova geração Q3. Isto, já depois de a marca dos quatro anéis ter dado a conhecer um novo modelo de entrada na gama Q, o Q2.

O segmento mais atraente na actual indústria automóvel é conhecido por apenas três letras: SUV. Nenhum outro tipo de carro tem mostrado valores de crescimento tão acentuados como os SUV”, afirma a Audi, num relatório divulgado no final de Março.

Certo é que as vendas de SUV da marca não têm parado de crescer nos últimos 10 anos: 6% em 2006, 18% em 2011 e 33% em 2016.

Da cautela inicial ao ataque declarado

Até há bem pouco, a Audi mostrou-se sempre mais cautelosa que os rivais na adopção de uma estratégia de reforço da oferta SUV. Sendo largamente suplantada, por exemplo, pela Mercedes-Benz, hoje em dia já com sete modelos do género. Ao passo que a outra rival, a BMW, possui cinco, tendo previsto lançar ainda um novo topo de gama na sua oferta SUV, que tudo indica adoptará a designação X7, assim como um SUV compacto, o X2. Já a marca dos quatro anéis, não vai além – pelo menos, para já – de quatro.

Dietmar Voggenreiter

Por outro lado, a opção da Audi de lançar o seu primeiro eléctrico com uma carroçaria SUV é explicado por Voggenreiter com o facto do segmento da moda ser também aquele que lidera nas novas tendências. Não acreditando, por outro lado, que modelos como o Tesla Model X possam ser encarados como rivais do futuro SUV eléctrico de Ingolstadt. “Na nossa opinião, [o Model X] não é um verdadeiro SUV, será mais um crossover. Pelo que o nosso futuro modelo não tem propriamente um rival directo”, afirma o mesmo responsável.