A propósito de um trabalho dedicado aos melhores superdesportivos do momento, o Observador já aqui lhe tinha dado conta de um interessante projecto da Techrules – o Ren, revelado na passada edição do Salão de Genebra. Recordemos, ainda assim, os principais atributos do modelo: desenhado por Fabrizio e e Giorgetto Guigiaro, e a produzir pela L.M. Gianetti, tem por base uma motorização eléctrica, e deverá poder adoptar três configurações de motor, cada qual com 217 cv: dois traseiros (435 cv); dois traseiros e dois dianteiros (870 cv); ou dois dianteiros e quatro traseiros (1305 cv).

Na mais poderosa, os 0-100 km/h cumprem-se em 2,5 segundos e a velocidade máxima é de 320 km/h. As baterias garantem uma autonomia de 200 km, e são recarregadas por microturbinas de 30 kWh, aptas a consumir diversos combustíveis líquidos e gasosos (nomeadamente gasóleo, gasolina e hidrogénio), o que faz deste modelo um eléctrico com extensor de autonomia. Se o gasóleo for o escolhido para o efeito, o depósito de 80 litros assegura uma autonomia de 1170 km.

À partida, a Techrules previa produzir cerca de 25 unidades/ano do Ren a partir de 2018, a um preço que se estima que ronde os 3 milhões de euros – mas não faltava quem duvidasse que tal projecção passasse do plano das intenções. Em jeito de resposta, a marca chinesa anunciou que vai mesmo apresentar no prestigiado Concurso de Elegância de Villa d’Este a versão de produção do Ren, e que até já aceita encomendas para o seu superdesportivo, que começará a ser entregue aos seus clientes no próximo ano.

Ao que tudo indica, o Ren a exibir no evento italiano contará com uma configuração de cockpit para três ocupantes, com o condutor sentado em posição central um pouco mais avançada, ao melhor estilo do McLaren F1, mas aqui estando cada qual protegido pela sua própria canópia em policarbonato, como num avião de combate. Para comunicarem entre si, os ocupantes contam com microfones e altifalantes integrados nos encostos de cabeça, acedendo os passageiros aos seus próprios ecrãs tácteis retrácteis para acesso ao sistema de infoentretenimento. O Ren propõe ainda versões de habitáculo para dois ocupantes, ou somente para o condutor.

O que a Techrules não esclareceu é qual a configuração de motor com que estará equipado esta versão de produção a estrear em Villa d’Este. Mas promete que o luxo dominará no interior, em boa parte porque todas as superfícies com as quais os ocupantes poderão contactar estarão revestidas pelo mais fino couro italiano, excepção feita aos assentos dos bancos, revestidos num tecido de ganga exclusivo, produzido pela empresa de alta-costura italiana PT (Pantaloni Torino), destinado a garantir maior atrito e, assim, evitar que os seus ocupantes possam deslizar sobre os mesmos em curva e nas travagens mais fortes.

Ao mesmo tempo, e para que todo o potencial de um automóvel deste calibre possa ser explorado ao máximo no terreno ideal para o efeito, a Techrules também faz saber que a L.M. Gianetti irá produzir uma série limitada do Ren, numa versão especialmente adaptada a uma utilização em circuito.