Francisco J. Marques, diretor de comunicação do FC Porto, garantiu esta quinta-feira, no seguimento da abertura dos inquéritos por parte do Ministério Público e do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), pela denúncia do alegado esquema de corrupção de árbitros para favorecimento do Benfica, que existe mais material para comprovar essa acusação e que o mesmo será entregue às autoridades responsáveis quando os dragões entenderem que devem fazê-lo.

As quatro acusações do FC Porto ao Benfica nos últimos dois meses

A informação de que existirá mais material além dos emails trocados entre o ex-árbitro Adão Mendes e o diretor de conteúdos da BTV e comentador Pedro Guerra, divulgados na passada terça-feira à noite no programa Universo Porto da Bancada, do Porto Canal, foi confirmada pelo Observador.

No Fórum da TSF, esta manhã, Francisco J. Marques mostrou-se satisfeito com a abertura de inquérito por parte do Ministério Público e do Conselho de Disciplina da FPF, ao mesmo tempo que destacou mais pontos sobre a matéria.

Conselho de Disciplina abre inquérito a emails denunciados pelo FC Porto

“Só podemos saudar que a justiça desportiva vá investigar esta situação, que carece de investigação. O que divulgámos é suficientemente intrigante e claro que obriga a que se perceba do que se trata. Gostava só de lembrar que aquilo não se trata de uma simples conversa entre dois adeptos do Benfica. Se assim fosse, não aparecia em caixa alta ‘agora apague tudo’. Depois de se escreverem aquelas coisas das missas e padres, dos árbitros serem punidos se prejudicarem Benfica e assumirem todo o poder que o Benfica tem sobre a arbitragem, só podemos saudar e esperar que a investigação decorra com a maior isenção e possa apurar o que se passa”, salientou no programa.

O FC Porto vai fazer chegar estas coisas às autoridades desportivas e não desportivas. Vai fazê-lo no momento em que entender fazê-lo e quando estiver reunida toda a informação que estamos a reunir. Isto não se confina a esta conversa, há mais material. Iremos apresentar as nossas queixas no momento que escolhermos, mas vamos fazê-lo”, assegurou o diretor de comunicação do FC Porto.