Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Ativistas chineses salvaram cerca de mil cães e gatos do Dog Meat Festival (Festival de Carne de Cão, numa tradução livre), que ocorre na cidade de Yulin, na China, avança a organização Humane Society International (HSI). Apesar dos apelos e da controvérsia, o festival voltou a realizar-se este ano.

O Dog Meat Festival é um evento tradicional organizado anualmente na China onde são sacrificados milhares de cães e gatos. Apesar dos rumores de proibição da festividade, o governo local informou as associações ativistas que o consumo de carne de cão era legal no país e, por isso, a realização do evento mantinha-se.

Este foi o maior resgate até agora feito de um camião de cães e gatos, na China. Aplaudimos o trabalho corajoso dos homens e mulheres ao salvaram a vida destes animais aterrorizados que se dirigiam para um massacre brutal”, afirmou o especialista de políticas chinesas e membro da HSI, Peter Li.

De acordo com a HSI, os cães e gatos foram resgatados de um veículo intercetado em Guangzhou, no sul da China. Os animais eram transportados em pequenas jaulas, sendo que alguns deles já tinham morrido asfixiados quando os cerca de 100 ativistas chegaram. Os relatórios feitos pela organização afirmam que o motorista não possuía os certificados de saúde que os regulamentos de transporte animal chineses exigem. A HSI relata também que muitos apresentavam comportamentos de animais de companhia, o que sugere que possam ter sido roubados ou recolhidos da rua.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Peter Li disse que este resgate ganhou mais significado pela participação de vários jovens da localidade de Guangzhou – conhecida como a capital mundial do consumo de carne de cão e de gato -, pois demonstra esperança numa nova China. “Estes novos ativistas são a esperança de uma nova China, livre da crueldade inerente ao comércio da carne de cão”, disse.

Matt Damon e Pamela Anderson foram duas das várias celebridades que se juntaram ao movimento para banir a festividade, em 2016. Cerca de 11 milhões de assinaturas foram recolhidas para abolir o festival, que está frequentemente envolvido em polémica e criticismo. Por ano, são mortos cerca de 20 milhões de cães e quatro milhões de gatos, segunda a HSI.

https://www.youtube.com/watch?v=NbwbD8JcJgY

Como é que começou o Dog Meat Festival?

O primeiro festival teve início em 2009 para marcar o solstício de verão e estende-se por dez dias. Comer carne de cão é uma tradição chinesa e, de acordo com os dizeres populares, traz sorte e saúde. Alguns acreditam que o consumo pode evitar doenças e aumentar a performance sexual masculina.

Apesar do evento ser relativamente recente, a tradição tem, pelo menos, 400 anos. A China não tem uma lei de proteção animal, mas os especialistas consideram o festival ilegal sob os regulamentos aprovados pelo Ministério da Agricultura em 2013, que requerem quarentena para animais antes do transporte. Porém, esta prática é “rara de ver”, de acordo com An Xiang, advogada de direitos dos animais em Pequim.

As condições medíocres de transporte dos animais são apontadas também como uma ameaça à saúde pública.