O cabaz médio de manuais escolares para o ano letivo 2017/2018 é de 112,5 euros, divulgou, esta quinta-feira, a Associação Portuguesa de Livreiros (APEL). A fatura mais alta é do ensino secundário (176,3 euros), com o 11.º ano à cabeça (196 euros).

Os manuais do 1.º ciclo — que este ano serão gratuitos para todas as crianças que frequentem as escolas públicas — custam, em média, 35 euros, os do 2.º ciclo (5.º e 6.º ano) 97,2 euros e no 3.º ciclo (7.º/ 8.º e 9.º anos) a fatura média chega aos 162,2 euros.

Os preços são ligeiramente superiores aos do ano passado, face à atualização de 0,87%, “de acordo com a Convenção de Preços dos Manuais Escolares estabelecida entre os Ministérios da Educação e da Economia e a APEL – Associação Portuguesa de Editores e Livreiros”, refere a APEL.

A associação que representa os livreiros lembra ainda que as 1.200 livrarias de todo o país, bem como as livrarias online, “oferecem promoções e serviços de proximidade que garantem a possibilidade de se comprar os manuais escolares a preços competitivos e com grande comodidade”.

Há manuais que não podem ser aproveitados dos anos anteriores. A APEL informa que “iniciam a vigência de seis anos definida pela Lei” os manuais de Português, Estudo do Meio e Matemática do 2.º ano; os de Inglês, Educação Visual e Educação Tecnológica do 5.º ano; os de Português, História e Geografia de Portugal, Matemática, Ciências Naturais e Ed. Musical do 6.º ano e Português, Matemática A, Física e Química do 12.º.