David Lima sai dos Campeonatos Mundiais de Atletismo satisfeito com o desempenho que acumulou ao longo da prova, depois de ter falhado a qualificação para a final dos 200 metros.

Cada prova foi melhor do que a última. É pena a pista, é pena o tempo, podia estar a dar desculpas, mas eu acho que tenho mais positivos para aprender disto e, passo a passo, em vez de pensar longe demais, passo a passo, vou mesmo chegar à meta”, comentou.

David Lima terminou a série em 20.56 segundos, classificando-se em quarto na sua série e em 13.º entre o conjunto dos 19 corredores.

Qualificaram-se para a final os dois primeiros classificados de cada uma das três séries mais os dois tempos mais rápidos dos restantes 19 corredores.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

David Lima correu na única série com nove corredores, após a inclusão tardia do botsuanês Isaac Makwala, que se qualificou numa prova extraordinária esta tarde, onde correu sozinho e em 20.20 segundos, e que depois fez 20,14 na meia-final.

A Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF) autorizou a prova de apuramento a Makwala, detentor da melhor marca do ano, com 19,77 segundos, após o fim esta tarde da quarentena a que esteve sujeito por doença infecciosa (gastroenterite), falhando a final de terça-feira dos 400 metros e as eliminatórias dos 200.

O atleta português chegou a estes Campeonatos com um recorde pessoal de 20,30 segundos, conseguido há cerca de um mês no Meeting de La Chaux-de-Fonds, na Suíça, tornando-se no segundo português mais rápido de sempre na disciplina, atrás do ainda recordista Francis Obikwelu (20,01 segundos).

A corrida desta quinta-feira fecha a estreia de David Lima em Campeonatos Mundiais, onde também competiu nos 100 metros, mas sem passar das séries eliminatórias.

O atleta português ficou longe de confirmar os seus recentes 10,05 segundos e foi apenas sétimo na segunda corrida, com 10,41 segundos, uma prestação que o próprio admitiu ter sido de “nível amador” e que se deveu à ansiedade que prejudicou a partida.

Esta quinta-feira, após uma corrida de 200 metros, David Lima saiu satisfeito e afirmou: “Esta experiência em Londres foi mesmo isto, amadurecer como atleta”.

Decidido a “continuar a progredir”, o velocista tem na agenda de competições este ano uma prova na Finlândia, nos Elite Games em Lappeenranta, a 26 de agosto. Mas na sua cabeça estão já os Europeus, em Berlim.

“Não sei, podemos ir à final, vamos ver”, avisou.