O Colégio Nacional de Jornalistas (CNP) denunciou que o Governo venezuelano ordenou o encerramento de duas emblemáticas estações de rádio de Caracas, a “TU FM” e a Mágica FM. “A medida representa um novo atentado contra as liberdades de expressão, informação e imprensa, o que se traduz numa violação flagrante dos princípios democráticos estabelecidos na Constituição da Venezuela”, explica um comunicado do CNP.

O encerramento, segundo a imprensa local, foi ordenado pela Comissão Nacional de Telecomunicações da Venezuela e o sinal de uma das rádios, a “TU FM” (A tua FM), foi substituído pela nova “Rádio Coração Llanero”, cujo nome faz referência a uma zona do centro do país onde predomina a agriculta, a ovinocultura e a extração petrolífera.

Segundo o CNP, o Governo do Presidente Nicolás Maduro “volta a violar a liberdade de decisão dos venezuelanos ao usar mecanismos indiretos” para “impedir a comunicação e a livre circulação de ideias e opiniões”. “Encerrando meios e agredindo jornalistas não se oculta a verdade, sobretudo porque é impossível que o venezuelano não sinta nem padeça da crítica situação económica, de abastecimento, da ineficiência nos serviços de saúde e da inexistente segurança”, afirma.

No documento, o CNP denuncia uma “clara intenção do Governo de silenciar os meios de comunicação e os jornalistas para impor a sua própria agenda informativa através das distintas emissoras, propriedade do Estado venezuelano, e daquelas que, mesmo sendo de capital privado, lhe são afetas”.

“Tentar silenciar os meios de comunicação ou estabelecer controlo sobre eles é censura e isso viola a liberdade de expressão e o direito que todo o ser humano tem a ser informado”, conclui a CNP, acrescentando que os jornalistas não se vão intimidar e vão lutar pela defesa dos princípios e valores democráticos previstos na Constituição.

Desde 2009 que dezenas de estações de rádio na Venezuela têm sido encerradas pelas autoridades que decidem não lhes renovar as autorizações para continuarem a transmitir, uma situação que a imprensa local diz ter motivos políticos.

Em 2007, o Governo venezuelano tirou do ar a RCTV, a mais antiga estação de televisão da Venezuela. Nos últimos tempos, também estações de televisão estrangeiras foram obrigadas a suspender as suas transmissões nos sistemas por cabo, entre elas, a NTN24, Antena 3, CNN em espanhol e Caracol.