A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, afirmou neste domingo, em Ponte de Lima, que o partido apresentará uma proposta para a “diminuição progressiva do IRC” de 21% para 19%, como forma de atrair investimento e criar emprego.

“Aquilo em que continuaremos a trabalhar é para baixar progressivamente o IRC [Imposto sobre o Rendimento Coletivo] e, já neste Orçamento do Estado, à semelhança do que temos feito, o CDS, através do seu grupo parlamentar, apresentará a proposta para diminuir a taxa de 21% para 19 %”, afirmou, durante o comício de apresentação dos candidatos ao concelho de Ponte de Lima (distrito de Viana do Castelo) nas autárquicas de 01 de outubro.

Dessa medida, disse, “depende a criação de investimento, emprego, boas condições de trabalho que geram riqueza e que geram o desenvolvimento do país”.

Apontando a Câmara de Ponte de Lima (CDS) como “inspiradora de uma boa gestão autárquica”, a presidente do partido declarou que o Governo “precisa de dar o exemplo e dizer a todos que, em Portugal, vale a pena trabalhar, vale a pena os portugueses arriscarem o seu dinheiro em projetos empresariais, vale a pena os que estão fora olharem para o nosso país e também aqui querem investir”.

Assunção Cristas acusou o PS de ter “quebrado” um acordo “do passado recente” que previa a redução progressiva do IRC. “Recordo-me de que, no passado, foi feito um acordo, um consenso com o PS para se diminuir progressivamente o IRC, porque era preciso para atrair investimento, criar emprego e para criar riqueza no nosso país; porque sem riqueza criada de forma sustentável é difícil socorrer todas as situações e distribuir essa mesma riqueza. Pois os socialistas, com António Costa, na primeira oportunidade quebraram este acordo”, afirmou.

As listas da candidatura “Estabilidade e Confiança” são encabeçadas por Victor Mendes, candidato à Câmara Municipal de Ponta de Lima, João Mimoso de Morais, candidato à Assembleia Municipal, e ainda por candidatos a 38 assembleias de freguesia.