Modelo que chegou a ser descrito, pelo italiano Enzo Ferrari, como “o veículo mais bonito do mundo”, o Jaguar E-Type acaba de ganhar uma nova vida. Agora, eléctrica! E tudo graças à imaginação da equipa da Jaguar Land Rover Classic que, a partir de um histórico modelo E-Type Roadster 1.5 de 1968, criou uma revolucionária versão eléctrica do modelo, capaz de acelerar dos 0 aos 100 km/h em 5,5 segundos, sem pinga de emissões!

Denominado E-Type Concept Zero, o protótipo agora desvendado pelo fabricante britânico tem por base uma unidade daquele que foi um dos modelos mais famosos da Jaguar, restaurada e modificada no Centro Jaguar Land Rover Classic Works de Coventry. Por sinal, bem perto do local onde foi criado o E-Type.

Com um aspecto idêntico ao original e a mesma capacidade de manobra de um E-Type, este protótipo tem, debaixo do capot, um motor eléctrico de 220 kW (299 cv), concebido especificamente para este Concept Zero, e conjugado com uma bateria de iões de lítio de 40 kWh. A qual tem exactamente as mesmas dimensões e um peso semelhante ao motor XK de seis cilindros utilizado no E-Type, de forma a caber no local onde anteriormente estava o motor de combustão. Com o motor eléctrico e a engrenagem redutora a surgirem posicionados logo atrás da bateria, no mesmo local onde estava a caixa de velocidades do E-Type.

O “E-Type eléctrico” pesa menos 46 kg que o modelo original, sendo igualmente mais rápido – 5,5 segundos é o tempo anunciado na aceleração dos 0 aos 100 km/h.

De resto, utilizando igualmente alguns dos componentes e tecnologia daquele que será o primeiro veículo 100% eléctrico de produção em série da marca britânica, o E-Type Concept Zero anuncia uma autonomia real de 270 km, com o carregamento das baterias a poder ser feito numa qualquer tomada doméstica. Demorando, em média e dependendo da fonte de alimentação utilizada, entre seis e sete horas a carregar por completo.

O Jaguar E-Type Concept Zero vai agora ser mundialmente apresentado durante o Jaguar Land Rover Tech Fest, na Faculdade de Belas Artes da Universidade Central Saint Martins, em Londres. Certame cujas portas abrem já hoje, exclusivamente para os meios de comunicação social, seguindo-se, a partir de amanhã e até dia 10 de Setembro, o acesso ao público em geral.