Para garantir que não há mais emails envolvendo o clube revelados na praça pública, o Benfica interpôs uma providência cautelar contra FC Porto, SAD, FC Porto Media, Porto Canal e Francisco J. Marques, diretor de comunicação do clube. Ao Tribunal Cível do Porto, através do advogado Gonçalo Malheiro, o clube pediu a proibição imediata de novas revelações de emails ou mensagens, reclamando o pagamento de um milhão de euros por cada incumprimento.

Terá sido há cerca de duas semanas que o pedido foi formalizado, avança esta terça-feira o Jornal de Notícias, que explica também que a juíza responsável pelo processo rejeitou o pedido do Benfica (que pretendia que a proibição fosse decretada imediatamente) e decidiu chamar para audição a outra parte, antes de tomar uma decisão.

Ao mesmo jornal, Francisco J. Marques confirmou que o FC Porto já foi notificado pelo tribunal, pelo que se prepara para contestar a providência cautelar.

Durante a manhã desta terça-feira, em comunicado divulgado no site do clube, o Benfica confirmou e justificou a ação judicial, cujos objetivos serão “impedir, primeiro, a prática continuada de uma conduta ilícita” e garantir, em segundo lugar, “a salvaguarda do bom-nome do Sport Lisboa e Benfica”.

O JN avançou ainda a informação de que esta terça-feira, como tem sido habitual desde que em junho o chamado caso dos emails rebentou, dando conta de um alegado esquema de corrupção favorecendo o Benfica que está já a ser investigado pela Polícia Judiciária, o programa “Universo Porto – Da Bancada”, do Porto Canal, deverá fazer novas revelações.

Até os cinco — FC Porto, SAD, FC Porto Media, Porto Canal e Francisco J. Marques — serem ouvidos e a juíza tomar uma decisão, a revelação de novos emails não constitui qualquer ato ilícito.

Esta providência cautelar será a segunda ação judicial de Benfica contra Porto neste caso. No início de agosto, foi noticiada a instauração de um processo-crime por parte do clube da Luz contra Pinto da Costa, a SAD do FC Porto e o Porto Canal. 50 milhões era o valor de indemnização que o Benfica reclamaria.