Jamie Dimon, presidente-executivo do JP Morgan, uma das mais importantes instituições financeiras, explica que a moeda virtual bitcoin é “uma fraude pior que os bolbos de tulipa” e que é mais uma “bolha à espera de rebentar”. Dimon explicou na terça-feira como é que “a bolha da bitcoin” se compara ao mais famoso exemplo das consequências da especulação financeira: a especulação com os preços das tulipas do séc. XVII.

Nessa altura, a chegada das tulipas ao mercado europeu fez com se especulasse em demasia sobre o preço das flores. O crescimento espontâneo do mercado destas flores levou a que a subida de preços acabasse por dar mau resultado, e tudo acabou em pânico e vendas repentinas de stocks.

Bitcoins. O que são, como se produzem e para que servem as moedas virtuais que os “hackers” exigem como resgate

Jamie Dimon garantiu, enquanto falava numa conferência do Barclays na terça-feira, que iria despedir qualquer corretor financeiro que transacionasse com a bitcoin, “por serem estúpidos”.

Estúpidos ou não, a bitcoin escalou em popularidade – especialmente na Ásia – e valorizou 350%, algo que “não vai acabar bem”, avisa Dimon.

Uma “bitcoin” já vale mais do que uma onça de ouro

O ceticismo perante a moeda virtual não se traduz só na posição de Jamie Dimon. Também o Nobel da Economia Robert Shiller, que previu a bolha dot com (entre 1997 e 2001) e a bolha do mercado imobiliário (2008), acredita estarmos perante outra bolha: “é o melhor exemplo neste momento”, contou à Quartz.