Mário Semedo e Mário Avelino são os dois candidatos à presidência da Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF), nas eleições antecipadas de 28 de outubro, anunciou esta terça-feira o presidente da comissão eleitoral, António Semedo.

Em declarações à Inforpress, António Semedo adiantou que as duas candidaturas foram as únicas aceites por terem reunido os requisitos necessários, que era terem pelo menos a subscrição de três das 11 associações regionais. O mesmo não aconteceu com as duas outras pré-candidaturas de José Mário Correia e Manuel Conceição, que não conseguiram o número de subscrições exigidas, conforme define o código eleitoral, prosseguiu António Semedo.

O presidente da Comissão Eleitoral disse que os editais ainda não foram publicados porque os candidatos têm, a partir de quarta-feira, 48 horas para apresentarem a impugnação da eleição, em caso de alguma irregularidade.

A FCF vai a eleições antecipadas após a destituição, em agosto, da então direção liderada por Vítor Osório, por causa da polémica em torno do campeonato nacional. O escrutínio acontece numa altura em que o Ministério Público cabo-verdiano está a investigar suspeitas dos crimes de abuso de confiança e associação criminosa na FCF, não tendo, entretanto, indicado qual o período em causa.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Segundo a PGR, a investigação foi decidida em agosto depois de terem chegado ao conhecimento do Ministério Público “factos relativos à gestão da Federação Cabo-verdiana de Futebol suscetíveis de indiciarem a prática de ilícitos criminais”.

Atento à natureza e especificidade dos ilícitos, o Ministério Público delegou competências na Polícia Judiciária para realização de diligências de investigação, visando o esclarecimento dos factos e determinar a sua relevância jurídico-penal”, adianta o comunicado da PGR.