Os Guardas da Revolução, o exército de elite do Irão, anunciaram hoje a detenção de 16 membros do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) e a morte de três militares em confrontos no sul do país.

“Dezasseis membros do grupo terrorista [EI] foram detidos e vários foram mortos” hoje em confrontos “na região de Bamou”, na província de Fars, declarou o general Mohammad Pakpour, comandante do exército dos Guardas da Revolução, acrescentando que foram mortos “três membros dos Guardas”, na página da internet sepahnews.

“Aqueles terroristas queriam cometer atentados em cidades fronteiriças e do centro do país”, indicou o general Pakpour.

Os Guardas da Revolução afirmaram que os membros do EI se tinham infiltrado no Irão a partir da fronteira ocidental com o Iraque.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A 7 de junho, dois atentados contra o parlamento iraniano e o mausoléu do imã Khomeiny, em Teerão, fizeram 17 mortos e dezenas de feridos. Foram os primeiros ataques reivindicados pelo EI no Irão.

Teerão forneceu ajuda militar aos Governos sírio e iraquiano para combaterem o EI, enviando para os dois países conselheiros militares e “voluntários”.

Nos últimos meses, as autoridades iranianas anunciaram dezenas de detenções de presumíveis membros do grupo jihadista em diversas regiões do país.