A Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) anunciou esta segunda-feira a instauração de um processo de averiguações aos incidentes ocorridos no jogo entre Vitória de Guimarães e Sporting de Braga, no domingo, que resultaram na interceção de 52 adeptos.

Em comunicado, a LPFP revelou que “irá tomar medidas no sentido do apuramento de responsabilidades, através da instauração de um processo de averiguações”.

No domingo, antes do encontro entre os rivais minhotos da 23.ª jornada da I Liga, que terminou com a vitória bracarense por 5-0, em Guimarães, a Polícia de Segurança Pública (PSP) intercetou 52 adeptos afetos ao Sporting de Braga, por envolvimento em agressões que resultaram em oito feridos.

Segundo o comissário da PSP de Guimarães, João Pinheiro, os desacatos ocorreram quando cerca de uma centena de adeptos sem adereços, mas com cânticos de apoio aos ‘arsenalistas’, apareceu junto do edifício dos Bombeiros Voluntários de Guimarães, por uma zona onde não era suposto circularem adeptos do Braga, segundo a informação que tinham recolhido.

Esse grupo cruzou-se com adeptos do Vitória que estavam num café próximo do local e, segundo o comissário, os confrontos sucederam-se, com “arremessos de cadeiras”, que causaram danos no mobiliário do estabelecimento. Os desacatos terminaram com a intervenção das forças da PSP, que, segundo vários órgãos de comunicação social, recorreram a tiros de ‘shotgun’.

Na operação de segurança ao encontro, as autoridades intercetaram ainda outro adepto do Sporting de Braga, mas noutra situação. “A LPFP repudia e condena este género de incidentes no futebol, pelo que solicitará às forças de segurança pública destacadas na partida realizada em Guimarães o envio, com caráter de urgência, do relatório das ocorrências do jogo”, rematou o organismo.