As equipas de resgate encontraram os corpos de pelo menos 30 dos 66 passageiros e tripulantes que seguiam no avião que caiu no domingo numa zona montanhosa do centro do Irão, revelaram as autoridades. No local do acidente, a serra de Dena, a quatro mil metros de altitude, estão diversas equipas de resgate para recuperar os cadáveres e a caixa negra do avião.

A operação, que se concentrou na terça-feira na busca dos corpos, continuará esta quarta-feira com os especialistas em busca e salvamento a começarem a descer a montanha, disse o diretor do Crescente Vermelho da província de Isfahan, Mohsen Momení, à agência oficial IRNA.

A escuridão e as más condições climáticas impediram a continuação das operações na tarde de terça-feira, após a descoberta dos destroços do aparelho. A identificação das vítimas ocorrerá na cidade de Yasuy, capital da província de Kohguiluye Boyer Ahmad, de acordo com as autoridades locais.

O diretor-geral do departamento forense de Kohguiluye Boyer Ahmad, Kamruz Amini, informou que 50 familiares das vítimas já deram amostras de ADN para ajudar na identificação.

O terreno íngreme do local do acidente vai complicar a retirada dos corpos, que pode durar até à próxima sexta-feira. Tendo em conta a zona montanhosa onde o avião caiu, não é possível aterrarem helicópteros de busca e salvamento no local, razão pela qual muitas das operações estão a ser feitas a pé.

O diretor-geral das operações aéreas da Organização de Aviação Civil do país, Mohamad Said Sharafi, disse na terça-feira que o lugar é “muito perigoso” e que a retirada dos corpos será uma tarefa difícil.

O avião ATR-72, da companhia iraniana Aseman Airlines, desapareceu do radar no domingo, cerca de 50 minutos depois de ter descolado do aeroporto de Mehrabad, em Teerão, para a cidade de Yasuy (sudoeste).