“Tentámos fazê-lo o mais rápido possível como qualquer resgate”, garantiu fonte da Marinha ao Observador. O alerta foi dado às 9h07 desta segunda-feira, 5 de março: um tripulante do navio “Monte da Guia”, de 41 anos, com “tremores” necessitava “urgentemente de cuidados médicos”, explicou a mesma fonte. As condições atmosféricas da zona onde se encontrava a embarcação — a 35 quilómetros a Oeste do Montijo —  eram bastantes adversas: “vagas com cerca de cinco metros e ventos fortes”, explica o comunicado.

[Veja no vídeo o resgate da Força Aérea a 35 quilómetros do Montijo]

[jwplatform 8Kd8TFre]

O tripulante foi salvo em cerca de duas horas. Meia-hora depois do alerta ter sido dado, houve um contacto direto com o navio em que foi aconselhado “a extração do paciente”, explicou fonte da Marinha. Analisadas as condições do rio, a Força Aérea foi contactada e às 10h05, descolou um helicóptero EH-101 Merlin, de alerta na Base Aérea N.º6, Montijo, em direção ao estuário do Rio Tejo para o resgate realizado pela Força Aérea, em coordenação com a Marinha Portuguesa.

Apesar das condições atmosféricas adversas, a missão foi bem sucedida, como se pode ver no vídeo que a Força Aérea registou durante o resgate: o helicóptero chegou junto do navio às 10h25 e 20 minutos depois deixou a zona onde estava a embarcação.

O tripulante foi transferido para o helicóptero que, após o resgate, o transportou para o aeroporto da Portela, em Lisboa, onde chegou às 11h05. Lá se encontrava “uma equipa médica do INEM estava já posicionada” e uma ambulância que transportou o homem de 41 anos para o Hospital de Santa Maria, de acordo com fonte da Marinha.