Guiné-Bissau

Ministro da Juventude da Guiné-Bissau pede apoio para reforçar voluntariado

Com o objetivo de alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, o ministro da Juventude pede apoio financeiro para reforçar o voluntariado no país.

LUSA

O ministro da Juventude e do Emprego da Guiné-Bissau, Doménico Sanca, pediu esta sexta-feira aos parceiros de desenvolvimento do país apoio financeiro para reforçar as capacidades do voluntariado no país para uma cidadania inclusiva, paz e desenvolvimento sustentável.

Doménico Sanca fez o apelo durante a cerimónia de assinatura do projeto de Reforço das Capacidades do Comité Nacional de Voluntários da Guiné-Bissau entre o Governo guineense e o Programa da ONU para o Desenvolvimento (PNUD).

“O projeto está orçado em 1,5 milhões de dólares (1,2 milhões de euros), estando, até ao momento, assegurado não mais de um terço do valor, reputando-se necessário haver a disponibilização de meios de mais parceiros de desenvolvimento do país”, afirmou o ministro.

O ministro pediu a “contribuição de mais parceiros” para assegurar a execução de todos os eixos do projeto.

O projeto, que vai ser desenvolvido em conjunto com as Nações Unidas, prevê a criação de um quadro legal para o voluntariado, reforço da capacidade de organização dos jovens e transição para o mercado de trabalho, sensibilização e consciencialização do voluntariado como forma de alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Lembrando que os jovens entre os 15 e os 35 anos representam quase 40% da população da Guiné-Bissau, o coordenador residente do sistema das Nações Unidas, David McLachlan-Karr, salientou que “nenhum processo de desenvolvimento pode ser bem-sucedido se não tiver a participação da juventude, pois esta possui um enorme potencial como força dinamizadora do desenvolvimento.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)