A capitania do Porto do Funchal confirmou esta quarta-feira ter resgatado o corpo do octogenário que caiu, terça-feira, de uma falésia com uma altura de 300 metros, na freguesia da Ponta do Pargo, no concelho da Calheta. A nota emitida esta noite pela autoridade marítima regional refere que foi solicitado “apoio para a extração por via marítima da vítima e da equipa de resgate”, após um alerta dado ao início da tarde de terça-feira.

A mesma informação refere que o Serviço Regional de Proteção Civil da Madeira ativou a sua unidade de meios de socorro, “com recurso ao drone” para localizar o corpo “a cerca de 300 metros da base da falésia”, acrescentando que, “tendo chegado junto da vítima, esta não apresentava sinais vitais” e o resgate do corpo só pode ser feito por via marítima. Para o efeito foi ativada uma embarcação da capitania do porto do Funchal, o navio da Marinha Portuguesa ‘NRP Douro’, e do Corpo Voluntário de Salvadores Náuticos (SANAS), tendo estado envolvidos na operação também elementos da Polícia Marítima por terra e por mar, nomeadamente do grupo de mergulho forense.

Cerca de 23h00 de terça-feira as operações foram suspensas e retomadas esta quarta-feira. “Após manobras de complexidade pela equipa de resgate do corpo de bombeiros Voluntários da Calheta (zona oeste da ilha da Madeira), considerando a localização em causa, sensivelmente a meio da falésia, assim como as realizadas pelas equipas de extração marítima”, menciona a mesma informação, o corpo acabou por ser resgatado na tarde desta quarta-feira. O comando local da Polícia Marítima tomou conta da ocorrência, conclui a informação.

Terça-feira, os bombeiros da localidade haviam confirmado à agência Lusa a morte do homem de 82 anos, natural da freguesia da Ponta do Pargo e que decorriam as manobras com uma equipa de resgate de montanha, constituída por 10 homens envolvida na operação de resgate do corpo.