Coreia do Sul

Presidente sul-coreano admite suspensão de exercícios militares

O Presidente sul-coreano mostrou-se disponível para suspender os exercícios militares conjuntos entre a Coreia do Sul e os Estados Unidos para contribuir para uma melhoria do clima do diálogo

PRESIDENTIAL OFFICE /HANDOUT/EPA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

O Presidente sul-coreano mostrou-se disponível para suspender os exercícios militares conjuntos entre a Coreia do Sul e os Estados Unidos para contribuir para o atual clima de diálogo com a Coreia do Norte. Moon Jae-in não exclui essa possibilidade se a Coreia do Norte “implementar medidas de desnuclearização” e se “continuar o diálogo sincero de Pyongyang com Seul e Washington com vista a reduzir as hostilidades”.

“Neste cenário, a Coreia do Sul precisa mudar de forma flexível a sua pressãoo militar com o objetivo de criar um clima de confiança mútua, conforme acordado na declaração de Panmunjom”, disse Moon durante uma reunião do Conselho de Segurança Nacional.

Moon avançou com a possibilidade após o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ter anunciado a suspensão das manobras no final da histórica cimeira realizada na terça-feira em Singapura com o líder norte-coreano, Kim Jong-un.

O Presidente sul-coreano disse ao Conselho de Segurança Nacional, que inclui os ministros de Defesa e Segurança, que esta medida deve ser analisada detalhadamente e em coordenação com os Estados Unidos. Antes da reunião do Conselho de Segurança Nacional, tanto Moon quanto o chefe da diplomacia sul-coreano, Kang Kyung-wha, tinham-se reunido em Seul com o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, para discutir o resultado da cimeira de Singapura.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Benfica

Oh meus amigos, não havia necessidade...

Pedro Coelho dos Santos

Ação gera reação. Começa-se por um pasodoble no final de um clássico, passa-se depois para um “chamem a polícia” no estádio do rival. Não pode ser. Aos dirigentes desportivos exige-se responsabilidade

Orçamento do Estado

O engodo do défice /premium

André Abrantes Amaral

Dizem que o o orçamento é prudente, mas prudente seria seguir uma política financeira capaz de impedir que o estado social colapse com a próxima crise. O resto, lamento, é mera confusão e engodo.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)