O ministro da Casa Civil do Brasil, Eliseu Padilha, informou esta terça-feira que um total de 127.778 venezuelanos entraram no Brasil desde 2017 pela fronteira terrestre que divide os dois países no estado brasileiro de Roraima. Segundo os dados oficiais, que coligem informações da Polícia Federal e foram publicados pelo ministro na rede social Facebook, 35.540 venezuelanos pediram refúgio e 11,1 mil solicitaram residência no Brasil no mesmo período.

Os dados também indicaram que entre 2015 e junho de 2018 mais de 56 mil venezuelanos procuraram as autoridades para regularizar sua situação no Brasil. O último balanço, fechado em 15 de maio, indicava a procura de 48.646 venezuelanos por regularização junto das autoridades locais.

Do total de entradas de venezuelanos no Brasil cerca de 54%, ou seja 68.968 pessoas, já saíram do país. Voltaram à Venezuela 47.855 mil pessoas, enquanto 21.113 seguiram em voos internacionais para outros países. De entre “os venezuelanos que deixam o país por via terrestre, 66% voltam à Venezuela via Pacaraima; 15% pela Ponte Tancredo Neves, em Foz do Iguaçu (PR); 6% via Guajará-Mirim, em Rondônia; 6% por Uruguaiana (RS); e 7% em outras localidades”, destacou o balanço divulgado pelo ministro.

Por via aérea, as principais rotas de saída utilizada pelos venezuelanos no Brasil são os aeroportos de Guarulhos (58%), no estado de São Paulo, Manaus (15%), no Amazonas, Brasília (13%), capital do país, e Galeão (11%), no Rio de Janeiro. Eliseu Padilha também informou que cerca de 4 mil venezuelanos estão a viver em nove abrigos no estado de Roraima e esclareceu que até agora 690 deles já foram levados para outros estados do país como São Paulo, Manaus, Mato Grosso e Rio de Janeiro.