A onda de calor que há vários dias afeta Marrocos e o sul da Europa teve consequências para o setor agrícola do país magrebino, matando 20% dos pintos e galinhas dos aviários devido às altas temperaturas. De acordo com o The Arab Weekly as temperaturas terão mesmo chegado aos 48º no sudeste marroquino.

O presidente da Associação Marroquina de Avicultores, Jaber Abu Bakr, indicou que esse número poderá ser revisto em alta, com a continuidade, pelo menos, durante esta segunda-feira de temperaturas excecionalmente altas, segundo noticia do diário Le Matin.

A onda de calor sente-se um pouco por todo o país, mas é especialmente extrema nas populações do interior da vasta planície que vai de Casablanca a Marraquexe, onde se concentra grande parte dos aviários. Até ao momento, este fator ainda não afetou o mercado de venda de aves, já que a oferta é sempre superior à procura.

Em 2004 ocorreu uma verdadeira catástrofe para o setor por outra onda de calor semelhante, que custou a vida a metade das aves em aviários em todo o país.