Desporto

O português Vieirinha, o melhor marcador do campeonato grego e um ex-Estoril no caminho do Benfica na Europa

Encarnados encontram PAOK no playoff de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões, depois de já terem eliminado os gregos das competições europeias por duas vezes.

AFP/Getty Images

Ultrapassado que está o Fenerbahçe depois de um resultado de 2-1 a favor dos encarnados no conjunto das duas mãos da 3.ª pré-eliminatória da Liga dos Campeões, é tempo do Benfica virar atenções para a Grécia, mais concretamente para Salónica. O PAOK, segundo classificado do campeonato grego na temporada passada, é o adversário das águias no playoff de acesso à fase de grupos, depois de ter ultrapassado a formação russa do Spartak de Moscovo com 3-2 no total da eliminatória.

Ainda antes do encontro entre portugueses e turcos terminar, já se sabia que quem seguisse em frente defrontaria a equipa comandada pelo romeno Razvan Lucescu, que terminava a segunda mão do embate com o Spartak de Moscovo empatada a zero.

A primeira mão havia sido de loucos, com uma primeira parte jogada a um ritmo alucinante, palco de cinco golos em 45 minutos. E aqui fica o primeiro apontamento à atenção dos encarnados: o PAOK esteve a perder por 2-0 (golos de Popov, aos 7′, e Promes, 17′), mas deu a volta ao resultado ainda antes do descanso, com golos de Prijovic (29′), Limnios (37′) e Pelkas (44′).

O encontro da Rússia foi mais tranquilo para os gregos, que beneficiaram da expulsão de Luiz Adriano, talvez o principal elemento da equipa de Moscovo, para jogar contra dez durante cerca de uma hora. Com Vieirinha a titular no lado direito da defesa, o PAOK mostrou-se capaz de evitar as investidas do Spartak, que, com um a menos, nunca conseguiu realmente incomodar a baliza defendida por Alex Paschalakis e ficou pelo caminho, vendo o PAOK seguir em frente

A formação grega foi a grande surpresa da edição passada do campeonato da Grécia, ao terminar na segunda posição, à frente do Olympiacos e a seis pontos do primeiro lugar, garantido pelo AEK, antes de vencer a Taça do seu país frente à equipa de Atenas. O grande destaque da formação de Salónica vai para o ponta de lança Aleksandar Prijovic: o internacional sérvio foi o melhor marcador do campeonato grego com 19 golos apontados e esteve nos eleitos de Mladen Krstajic no último Mundial.

Antes de eliminar o Spartak de Moscovo, o PAOK teve de ultrapassar o Basileia com duas vitórias a confirmarem o sucesso dos gregos (Créditos: Getty Images)

Alex Paschalakis é o guardião titular do PAOK, ainda sem internacionalizações pela sua seleção, aos 29 anos. A defesa é geralmente constituída pelos centrais José Ángel Crespo, espanhol com passagens pela Serie A, Premier League e La Liga, e pelo cabo verdiano Fernando Varela, que vestiu as camisolas do Estoril, Trofense e Feirense, ladeados por Léo Matos, brasileiro de pendor ofensivo, e pelo português Vieirinha, a cara mais conhecida deste PAOK.

O meio-campo a três, com a presença do brasileiro Maurício, ex-Zenit, do espanhol José Alberto Cañas, antigo jogador do Espanyol e do Betis, e do marroquino Omar El Kaddouri, principal pêndulo desta formação grega, que conta com o ex-Nápoles para equilibrar as operações. Na frente de ataque, os marcadores dos três golos com que o PAOK venceu o Spartak na primeira mão: Prijovic, Limnios e Pelkas são as principais ameaças à baliza encarnada, à atenção de Jardel, Ruben Dias e companhia.

Antes do Spartak de Moscovo, o PAOK teve de eliminar o Basileia, algo que aconteceu com relativa facilidade, depois de uma vitória caseira por 2-1 e um triunfo fora de portas por 3-0. O ambiente no Toumba Stadium, casa do PAOK, é temível, mas não é novidade para o Benfica, que já se cruzou com os gregos em competições europeias por duas vezes.

Na Taça UEFA de 2000/01, o PAOK até assustou os encarnados, depois de um 2-1 nos dois encontros a mandar a segunda mão para grandes penalidades, onde a formação portuguesa foi mais forte e acabou por vencer. Já em 2013/14, na Liga Europa, a tarefa encarnada foi mais fácil, com vitória por 1-0 na Grécia e 3-0 na Luz a selarem a superioridade do Benfica.

Não há duas sem três e calhou o PAOK outra vez; a primeira na Liga dos Campeões. Para saber se o Benfica conseguirá repetir a proeza e seguir para a fase de grupos da Liga Milionária só mesmo depois dos embates entre as duas formações, com a primeira mão marcada para o dia 21, em Salónica, e a segunda dia 27, no Estádio da Luz.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: flima@observador.pt
Bruno de Carvalho

O estigma /premium

Fernando Leal da Costa

Ultrapassaram-se todos os limites da sordidez. Esta notícia é a demonstração do desrespeito que grassa sobre a saúde mental, pois nela há a insinuação torpe de que o visado estará “doente da cabeça”.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)