Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Japão, Índia, Austrália, Brasil ou França. São estes os cinco finalistas para acolher a primeira cidade internacional do uberAIR durante os próximos cinco anos, anunciou a empresa esta quinta-feira, durante a Uber Elevate Asia Pacific Expo, que se realizou em Tóquio.

Em termos práticos, o que significa isto? Que um destes países poderá ter, dentro de cinco anos, a Uber a viajar pelos céus, dando a oportunidade aos utilizadores de “requisitar um voo através de um simples toque no ecrã”. O transporte aéreo será partilhado com outras pessoas e pretende oferecer uma alternativa a quem quiser escapar ao trânsito nas grandes cidades. No entanto, ainda não foram reveladas informações sobre os preços de cada viagem.

O local escolhido — que só será conhecido daqui a seis meses — vai juntar-se a Dalas e Los Angeles, as duas cidades piloto nos Estados Unidos. Segundo o comunicado enviado pela empresa, a Uber desenvolveu o projeto através de uma rede de parcerias criada com fabricantes de automóveis, promotores imobiliários e developers de tecnologia.

Os cinco países foram escolhidos segundo três critérios prioritários: o tamanho do mercado (mercados grandes e policêntricos), o compromisso com as comunidades locais (promotores imobiliários, comissões de ordenamento do território, câmaras municipais e bairros) e as condições favoráveis para a cooperação com a rede terrestre da Uber.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“O uberAIR vai transformar profundamente a mobilidade urbana, eliminando dificuldades e problemas de tráfego nas rotas mais congestionadas do mundo”, refere a empresa, anunciando também que vai testar entregas de refeições da Uber Eats através de drones e que vai utilizar o serviço uberAIR para transportar pessoas entre cidades da região Ásia-Pacífico.

A empresa vai também testar entregas de refeições da Uber Eats através de drones

“Neste momento temos uma lista de cinco países pré-selecionados, onde o uberAIR pode vir a transformar por completo o transporte e levar a nossa tecnologia a um novo patamar”, disse Eric Allison. O diretor-geral do Uber Elevate referiu ainda que a empresa pretende “criar um futuro verdadeiramente multimodal em termos de transporte”.