O Parque Nacional Kruger, na África do Sul, anunciou que o número de elefantes mortos pela caça furtiva aumentou desde janeiro, face ao período homólogo de 2017, apesar do reforço das medidas de segurança.

“Antecipávamos um aumento no número de elefantes mortos devido ao seu marfim e aumentámos as medidas de segurança para mitigar os ataques”, disse o porta-voz dos Parques Nacionais da África do Sul (Sanparks, na sigla em inglês).

Em declarações à agência Efe, Ike Phaahla precisou que apesar do reforço das medidas de segurança e proteção dos animais no parque, o número de elefantes mortos aumentou de 32, em 2017 para 58 até agora este ano.

O porta-voz do Sanparks adiantou ainda que, até setembro, cerca de 187 caçadores furtivos foram presos no parque e confiscadas cerca de uma centena de espingardas de alto calibre.

O Parque Nacional Kruger, com cerca de 20.000 quilómetros quadrados, é uma das maiores reservas de biodiversidade do mundo, com a maior população de rinocerontes e elefantes na África do Sul, bem como uma das principais atrações turísticas do país.

Dados divulgados pelo Kruger, indicam que o parque acolhe 148 espécies de mamíferos, contando-se 13.750 elefantes entre os mais de 204.000 animais contados no último censo (2010-2011).

Dois terços dos animais selvagens podem desaparecer até 2020