Startup Lisboa

Abertas as candidaturas para projetos de restauração e comércio no Hub Criativo do Beato

241

Até 21 de dezembro, a Startup Lisboa está a receber candidaturas de projetos de restauração, cafetaria, bar e outros serviços como mini-mercado e loja de conveniência para o Hub Criativo do Beato.

A Startup Lisboa, entidade que gere o Hub Criativo do Beato (HBC) — um dos maiores hubs de empreendedorismo na Europa–, iniciou esta quarta-feira o processo de seleção para os novos conceitos de restauração e comércio, que vão ocupar uma área de 1.500 metros quadrados.

O concurso, cujas propostas podem ser enviadas até 21 de dezembro, destina-se a projetos relacionados com restauração, cafetaria, bar e outros serviços como mini-mercado e loja de conveniência. O importante, diz a incubadora de empresas em comunicado, é que sejam serviços “que garantam diversidade, inovação e que respondam às necessidades do público e da comunidade envolvente do novo hub”.

Decidimos voluntariamente lançar um concurso aberto a todas as entidades interessadas em apresentar propostas para o espaço. Num projeto que faz da inovação o seu conceito principal queremos, também ao nível da restauração e de um conjunto de serviços de proximidade, ser surpreendidos por propostas inovadoras e de muita qualidade”, referiu Miguel Fontes, diretor da Startup Lisboa.

Os espaços que estão a concurso são dois edifícios históricos da antiga Fábrica da Manutenção Militar: o Edifício da Fábrica das Carnes e a Oficina Auto e Edifício Administrativo. A cedência destes espaços, diz a Startup Lisboa, prevê que seja o próprio promotor a investir na “requalificação, implementação e gestão”, sendo o investimento “amortizado na renda mensal”. Depois de dez anos de cedência, a utilização do espaço renova-se automaticamente por mais cinco anos até ao limite máximo de 25 anos.

O concurso divide-se em duas fases: após o período de entrega das propostas, é feita uma primeira avaliação das candidaturas, tendo por base critérios como a adequabilidade, a qualidade do projeto, a valorização do património e o perfil dos promotores. De seguida, as melhores propostas terão que fazer uma apresentação presencial a um júri e o vencedor passa à fase de negociação. “O objetivo é que o projeto do operador/promotor esteja em funcionamento até ao final de 2019“, acrescenta a Startup Lisboa.

Segundo José Mota Leal, da Startup Lisboa e gestor do projeto do HCB, “o objetivo é oferecer um leque de serviços adequados, que respondam não só a todos os que irão trabalhar no HCB, mas que também sejam suficientemente atrativos para se tornarem rapidamente uma referência na cidade de Lisboa”.

A Startup Lisboa é uma incubadora que já captou algumas empresas como a Factory Berlin, uma das maiores incubadoras europeias, a Mercedes-Benz, o grupo Super Bock e os escritórios da Web Summit.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)