Justiça

Realizador russo hoje em tribunal para responder sobre acusações de desvio de dinheiro

A prisão do cineasta e encenador causou uma onda de contestação no meio artístico russo e internacional, que acusam a Rússia de ter detido o cineasta por motivos políticos.

GUILLAUME HORCAJUELO/EPA

O realizador russo Kirill Serebrennikov, acusado de ter desviado perto de um milhão de euros de dinheiros públicos, chegou esta quarta-feira a Moscovo para a primeira audiência pública do seu julgamento.

O homem do cinema e do teatro, cujos trabalhos têm sido criticados pelos círculos conservadores e religiosos russos, chegou ao tribunal e à porta encontrou dezenas de pessoas a apoiá-lo. Kirill Serebrennikov sentou-se no chão da sala de audiências e só se levantou à chegada do juiz.

A cumprir prisão domiciliária há mais um ano, em Moscovo, foi nomeado comandante da Ordem das Artes e das Letras num decreto assinado pela ministra da Cultura de França, Françoise Nyssen. Kirill Serebrennikov já classificou a sua acusação de “absurda”.

A prisão do cineasta e encenador causou uma onda de contestação no meio artístico russo e internacional, que acusam a Rússia de ter detido o cineasta por motivos políticos.

Entre as entidades que têm contestado a prisão do realizador conta-se a organização do Festival de Avignon e do Festival de Cinema de Cannes que, além de ter reivindicado a libertação imediata de Kirill Serebrennikov, programou uma das suas peças para a edição de 2019 do certame.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Justiça

Acabe-se com os tribunais administrativos, já!

João Luis Mota de Campos

Não é tolerável é manter em (des)funcionamento o actual sistema jurisdicional administrativo, que pode causar a alegria teórica de alguns mas é causador de um intenso prejuízo social e viola direitos.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)