Jorge Nuno Pinto da Costa esteve esta sexta-feira nas instalações do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) para testemunhar no âmbito de um inquérito com origem numa queixa apresentada pelo Benfica.

O Benfica apresentou queixa ao Ministério Público por roubo, violação de privacidade, entre outros crimes. Além do presidente do FC Porto, deverão também ser chamados pelo Ministério Público outros dirigentes da SAD do clube como Adelino Caldeira, Fernando Gomes e Reinaldo Teles.

Pinto da Costa esteve cerca de 40 minutos no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), em Lisboa, sem prestar declarações aos jornalistas.

Recorde-se que Francisco J. Marques, diretor de comunicação do FC Porto, foi constituído arguido no caso há alguns meses por divulgar o conteúdo dos e-mails do Benfica num programa do Porto Canal, garantindo que “o FC Porto não pagou” e que “os mails existem e são verdadeiros”.