Lifestyle

Uma vela aqui, uma estrela acolá

Quer dar à sua casa aquele ‘look’ natalício que surpreende e aconchega? Não precisa de recorrer a um decorador. A solução está neste artigo.

Se há época que pede casa e conforto, é a do Natal. Quer saber o segredo para conseguir criar aquele ambiente aconchegante, onde apetece demorar? Resume-se a uma palavra: decoração.

Mesmo que não possa substituir totalmente a decoração de Natal a cada ano que passa,  pode sempre renovar o visual da casa e surpreender apenas com pequenas peças e pormenores. Por vezes, basta uma vela aqui ou uma estrela acolá.

Este ano, acrescente alguns detalhes aos enfeites que tem guardados ou renove totalmente o look de Natal da sua casa, com a gama de inspiração escandinava VINTER 2018, da IKEA. Da iluminação aos embrulhos, passando por todo o tipo de enfeites, como velas, castiçais, latinhas, a clássica bota de Natal e, claro, a decoração da mesa da consoada, encontra uma série de propostas irresistíveis. E, melhor ainda, a preços acessíveis.

É verdade que a árvore é a grande protagonista da decoração natalícia, mas há espaço para outros elementos brilharem, como os que encontra nesta galeria de imagens.

Clique na fotografia e tire ideias da IKEA para a decoração de Natal da sua casa:

A cereja no topo do bolo? Neste caso, não é a estrela no topo da árvore, mas sim as tradicionais bolachas de gengibre suecas. Ninguém lhes resiste. São autênticos adereços comestíveis. Encontre-as na Loja Sueca. E quando passar por lá, aproveite para espreitar a tradicional casinha de gengibre – para as crianças montarem e decorarem  – e o vinho quente sueco com especiarias, que vai aquecer e surpreender na noite da Consoada.

O resultado só pode ser um: este ano, vai ter vontade de deixar a decoração de Natal até ao Carnaval. Também pode fazê-lo, é certo. Mas talvez seja mais produtivo antecipar a decoração. Não espere por dezembro. Junte a família e encham de encanto todos os cantos da casa. Faça ‘render’ o espírito natalício. E tenha o Natal mais aconchegado de sempre.

Saiba mais em https://observador.pt/seccao/observador-lab/ikea-inspira/

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Conteúdo produzido pelo Observador Lab. Para saber mais, clique aqui.
Partilhe
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: obslab@observador.pt
Crónica

Na Caverna da Urgência

António Bento

A principal queixa do homem contemporâneo é a de uma permanente e estrutural sensação de «falta de tempo». Há uma generalização da urgência a todos os domínios da experiência e da existência moderna.

CDS-PP

O governo merece uma censura /premium

João Marques de Almeida

Se o Presidente, o PM e os partidos parlamentares fossem responsáveis e se preocupassem com o estado do país, as eleições legislativas seriam no mesmo dia das eleições europeias, no fim de Maio. 

Arrendamento

A coisa /premium

Helena Matos

Programas para proprietários que antes de regressarem à aldeia entregam ao Estado as suas casas para arrendar. Torres com 300 apartamentos. O arrendamento tornou-se na terra da intervenção socialista

Médicos

Senhor Dr., quanto tempo temos de consulta?

Pedro Afonso

Um dos aspetos essenciais na relação médico-doente é a empatia. Para se ser empático é preciso saber escutar. Ora este é um hábito que se tem vindo a perder na nossa sociedade, e nas consultas médicas

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)