A Polestar, construtor que tal como a Volvo, é controlada pelos chineses da Geely, anunciou o início da fabricação do seu primeiro modelo, o Polestar 1. Para já são apenas 34 unidades, destinadas a confirmar as informações obtidas pelos protótipos de testes, nas mais diversas condições, de frio a calor, mas também para realizar os necessários crash tests e confirmar a segurança que o veículo deve estender aos ocupantes em caso de embate.

Assumindo-se como “a marca de performance eléctrica da Volvo Car Group”, a Polestar dotou o 1 com uma série de atributos que o fazem destacar-se no universo dos veículos híbridos plug-in (PHEV). A começar pela potência de 600 cv, o que é dos maiores valores do mercado, mas não o maior, mas sobretudo pelo equilíbrio que existe entre a motorização a gasolina e eléctrica, com dois motores montados no eixo traseiro a proporcionar 218 cv, para reforçar a potência do motor a combustível fóssil, montado à frente e destinado a transmitir a força às rodas anteriores.

Mas mais do que a potência ou a capacidade dos motores eléctricos, o Polestar 1 sobressai pelo facto de anunciar uma autonomia de 150 km em modo eléctrico, o que lhe permite liderar sobre todos os veículos deste tipo que existem no mercado. Isto permite que um PHEV se assuma como um eléctrico na maioria do dia-a-dia, para depois ao fim de semana recorrer ao motor a gasolina para as grandes viagens ou para os momentos de urgência.