O dia 29 de Maio de 2018 pouco dirá à maioria dos portugueses. Mas ficará para sempre na memória daqueles que, desde 2014, alimentavam a esperança de replicar em Portugal aquilo que a Renault já fazia noutros países: ir ao encontro da sociedade civil, através de uma política de responsabilidade social que fosse para além do “empresarialmente correcto”. Essa esperança teve um boost em 2016, o ano em que se começou a vislumbrar ser (mesmo) possível avançar com a criação de uma fundação também em Portugal. E aconteceu – formalmente, em despacho datado de 29 de Maio de 2018.

Quase seis meses depois, e já com trabalho feito, esse projecto foi publicamente apresentado na passada quinta-feira, em Carcavelos, no campus da Nova School of Business and Economics. Dá pelo nome de Fundação Grupo Renault Portugal e junta, para além da Renault Portugal, o RCI Bank, Renault Retail Groupe e Renault Cacia. Congrega, portanto, os quatro trunfos que contribuem para que Portugal seja um dos três países da Europa Ocidental onde a Renault tem uma presença muito forte, nomeadamente (e por ordem) as actividades de distribuição, financeira, retalho e indústria.

Mais importante do que a designação será o que a recém-criada fundação se propõe fazer. E não é pouco. Os eixos de intervenção são quatro – Educação, Segurança Rodoviária, Mobilidade Sustentável e Integração/Diversidade – e há ideias para ‘trabalhar’ cada um deles. Contudo, como disse o director executivo da Fundação Grupo Renault Portugal, Ricardo Oliveira, na apresentação do projecto, “nada está escrito na pedra”. Ou seja, a instituição não só esta aberta a novas ideias, como se diz disponível para trabalhar com todos, sejam outras fundações, empresas ou cidadãos.

Queremos retribuir ao país o contributo que o país tem dado à extraordinária história da Renault em Portugal e isso não se pode esgotar em iniciativas próprias. Queremos envolver a sociedade, porque a nossa missão é servir a comunidade”, disse ao Observador Ricardo Oliveira.

O programa Escola Segura, por onde já passou mais de meio milhão de crianças, continua a decorrer ao abrigo do plano de acções da Fundação Grupo Renault Portugal, cuja actividade prevê igualmente a atribuição de prémios de mérito escolar ou desportivo para jovens desfavorecidos ou, no âmbito da segurança rodoviária, a promoção de cursos de condução defensiva para recém-encartados ou clientes. O foco também estará no estreitamento das relações com universidades, designadamente promovendo a integração dos formandos no mercado de trabalho, através da realização de estágios nas empresas que constituem o Grupo Renault.