Estradas

Trânsito condicionado em duas estradas perto de pedreiras de Vila Viçosa para inspeções

O trânsito encontra-se condicionado em dois locais da EN254 e numa zona da EN255, perto de Vila Viçosa, devido a um conjunto de inspeções que estão a ser realizadas pelas Infraestruturas de Portugal.

Segundo a Infraestruturas de Portugal (IP), estas "análises mais aprofundadas" visam "confirmar as condições" das plataformas rodoviárias

NUNO VEIGA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A Infraestruturas de Portugal implementou circulação alternada do trânsito em dois locais da EN254 e numa zona da EN255, no concelho de Vila Viçosa (Évora), próximo de pedreiras, devido a inspeções no terreno.

“A Infraestruturas de Portugal está a efetuar um conjunto de inspeções no terreno em dois locais junto à Estrada Nacional 254 (EN254) e num outro ponto da EN255”, revelou esta sexta-feira a empresa à agência Lusa, explicando que estes troços estão sob sua jurisdição.

Segundo a Infraestruturas de Portugal (IP), estas “análises mais aprofundadas” visam “confirmar as condições” das plataformas rodoviárias.

Questionada pela Lusa, fonte da IP explicou que os condicionamentos, desde quinta-feira, são em zonas onde existe uma “maior proximidade de pedreiras às estradas”, mas estes foram decididos apenas de forma “preventiva e cautelar”.

“Estamos a realizar inspeções e não é que tenha sido detetada nenhuma degradação das condições das estradas, mas, como temos andado na zona, decidimos implementar estes condicionamentos enquanto efetuamos a nossa avaliação”, sublinhou.

Em novembro, dias depois do acidente ocorrido em Borba, num troço da estrada 255 sob gestão municipal e não da IP, com o deslizamento de terra e de cerca de 100 metros da via para o interior de pedreiras, o investigador Carlos Filipe, do Centro de Estudos de Cultura, História, Artes e Património (CECHAP), de Vila Viçosa, alertou para pedreiras neste concelho, próximas de rodovias, com “fissuras” e “problemas nos taludes”.

Na aldeia de Bencatel (Vila Viçosa), na altura, populares também manifestaram à Lusa os seus receios quanto à proximidade de pedreiras situadas junto de estradas locais, depois da tragédia em Borba, que provocou cinco vítimas mortais, três delas residentes na localidade.

Num esclarecimento enviado à Lusa, nessa altura, a IP informou que o troço da EN254, entre Bencatel e Vila Viçosa, se encontrava “num estado de conservação adequado, não tendo sido identificados sinais de degradação ao nível da estabilidade da plataforma rodoviária (roturas ou abatimentos)”.

A IP referiu ainda efetuar um trabalho de monitorização “contínuo” da estrada e que, se existissem situações passíveis de “colocar em causa a segurança dos utilizadores, nesta ou noutras” vias, seriam “imediatamente tomadas as medidas necessárias”.

Os trabalhos em curso e que estão previstos “decorrer ao longo dos próximos dias” implicam “a implementação de circulação alternada”, o que já foi efetuado no terreno “na quinta-feira”, indicou a IP.

Na EN254, o trânsito circula de forma alternada ao quilómetro dois, na freguesia de Nossa Senhora da Conceição, e ao quilómetro 2,950, na freguesia de Bencatel, de acordo com a informação disponibilizada pela empresa.

Já na EN255, a circulação alternada foi implementada ao quilómetro 10,8, na freguesia de Pardais, acrescentou.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Inovação

Web Summit e provincianismo

Fernando Pinto Santos

Porque é a investigação académica tão desconsiderada em Portugal? Talvez porque moldes ou toalhas não sejam tão glamorosos como uma app com um nome estrangeiro numa conferência com o nome de Summit.

Bragança

Bragança tem gente culta e fica aqui

Nuno Pires

“Bragança fica longe de Lisboa, é certo, mas também Lisboa de Bragança. Porém, estamos mais perto de Madrid, Paris, Salamanca, Barcelona e do resto da Europa”

Eleições Europeias

Não há eleições europeias /premium

João Marques de Almeida

O parlamento europeu serve sobretudo para reforçar o poder dos grandes países, cujos partidos dominam os grupos políticos e, principalmente, as comissões parlamentares se fazem as emendas legislativas

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)