PSD

Rio diz que “PSD não é pequeno” e desvaloriza críticos: “Não ouvi, já me contaram”

O presidente do PSD não quis comentar as movimentações para o afastar e diz que não ouviu as críticas de Montenegro. Rio diz que "o PSD não é pequeno" e arrancou com o processo de escolha da lista.

ESTELA SILVA/LUSA

Rui Rio ignorou por completo os movimentos internos para o afastar da liderança e não quis responder a uma única pergunta sobre o assunto na conferência de imprensa que fez a meio da reunião da Comissão Política Nacional na sede do PSD. “Não vou comentar”, começou por dizer o presidente do PSD. Os jornalistas insistiram: a direção ignora então as críticas de Luís Montenegro? “Uns ignoram, outros não. Eu não ouvi, já me contaram“. Mas teme uma moção de censura? Nesse caso, Rio limitou-se a sorrir. No meio das muitas perguntas a que não quis responder, ainda atirou: “Estaria [preocupado] se fosse verdade, mas o PSD não é pequeno.”

A resposta aos críticos veio de uma forma indireta. Rui Rio apresentou os números de militantes de 2018, em que se inscreveram no partido 5821 militantes e 872 tiveram vontade de sair. Ou seja: um balanço positivo de mais 4949 militantes. Com isto Rio quis dizer que os militantes que o elegeram, o PSD das bases, está com ele e que este é um sinal que a sua estratégia não tem de mudar.

Na mesma linha de tirar razão aos críticos, Rui Rio pôs mãos à obra. Disse que ia já a partir de quinta-feira arrancar com a parte logística das Europeias — tarefa para a qual mandatou o secretário-geral José Silvano — como também resolver a “parte política”. Ou seja: escolher a lista e o cabeça de lista às Europeias. “Ainda não tratei de nada, mas a partir de agora vou começar a tratar”, atirou. O presidente do PSD consegue assim dois objetivos: mostra que já está a meio de um processo eleitoral (logo não é aconselhável afastá-lo) e condicionar eventuais dissidentes (entre os que desejam integrar a lista a Bruxelas). Já Silvano está mandatado para “começar a nomear a estrutura de campanha das eleições europeias”.

Rui Rio disse ainda que muitas vezes deixa outros dirigentes falarem por si para que se possa “entender que o partido que se vai propor a eleições europeias e legislativas é o partido como um todo, não é só uma pessoa. O líder do partido é um elemento muito importante, mas não é um todo.” Aqui há mais um piscar de olho à estabilidade no partido: não é só Rui Rio que pode ter um mau resultado, é o partido.

Sobre a reunião da Comissão Política Nacional que continuava a decorrer na sede do PSD em Lisboa, Rio anunciou que o PSD vai criar uma “central de compras para grandes despesas em campanhas eleitorais” e avançar para a “clarificação da responsabilidade financeira”, para que fique “claro quem é o responsável das dívidas além das autorizadas pela secretaria-geral do partido”. Recorde-se que Rui Rio avançou mesmo para a responsabilização de antigos candidatos em tribunal.

Rio falou ainda da Convenção do Conselho Estratégico Nacional que se vai realizar no Europarque, em Santa Maria da Feira, a 16 de fevereiro, um ano depois do Congresso que o entronizou. Rio conta que marquem presença “todos os portugueses, militantes ou não militantes que se inscreveram no CEN, que são cerca de 1500 pessoas”. O evento terá 17 reuniões, 17 salas a funcionar (as 16 secções temáticas do CEN, e uma 17ª ca om reforma do sistema político). Na convenção vão marcar presença os ex-ministros Miguel Cadilhe e Daniel Bessa.

Rio disse ainda que está disponível para “fazer acordos e dialogar com os outros partidos (…) em nome do interesse nacional”. Para o presidente do PSD o plano nacional de grandes investimentos tem de “ter em atenção alguns pequenos investimentos” que possam potenciar grandes investimentos. Sobre as propinas, Rui Rio lembrou que o PSD mantém “a posição de sempre”, de que são para manter.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rpantunes@observador.pt
PSD

Marcelo, o conspirador /premium

Alexandre Homem Cristo

O pior destes 10 dias no PSD foi a interferência de Marcelo. Que o PSD se queira autodestruir, é problema seu. Que o Presidente não saiba agir dentro dos seus limites institucionais, é problema nosso.

PSD

Ao centro, o PSD não ganhará eleições /premium

João Marques de Almeida
262

Rio, que não perde uma ocasião para evocar Sá Carneiro, não aprendeu a sua principal lição: o PSD só chega ao poder quando lidera uma alternativa aos socialistas. Não basta esperar pelo fracasso do PS

Política

Salazar /premium

Helena Matos
1.498

Os actuais líderes não têm discurso, têm sim objectivos: manter-se ou chegar ao poder, através da popularidade e não da política. Logo precisam do passado e de Salazar para falarem de política.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)