Martin Scorsese vai realizar um novo documentário sobre Bob Dylan. O foco será a Rolling Thunder Revue, a digressão que o músico apresentou pelos Estados Unidos e pelo Canadá entre 1975 e 1976, durante a qual foi acompanhado por artistas como Joan Baez, Roger McGuinn, Emmylou Harris ou Ramblin’ Jack Elliott.

O documentário, que terá por título “Rolling Thunder Revue: A Bob Dylan Story”, tem produção e distribuição asseguradas pela Netflix, que não confirmou ainda uma data de estreia. Vai incluir imagens inéditas e novas entrevistas com Dylan. Esta digressão é considerada uma das mais emblemáticas, históricas e influentes da história da música pop-rock, pelo conjunto de músicos que levou ao palco e pela forma como apresentou ao vivo a melhor música que o americano compôs e gravou.

[a gravação clássica de “Tangled Up in Blue” durante a Rolling Thunder Revue:]

A informação foi avançada primeiro pela Variety, que citou uma fonte da Netflix: “‘Rolling Thunder Revue: A Bob Dylan Story’, de Martin Scorsese, capta o espírito complexo da América em 1975 e recupera a música que Bob Dylan apresentou ao vivo no outono daquele ano. Parte documentário, parte filme, parte sonho, ‘Rolling Thunder’ é uma experiência única.”

Na altura, a Rolling Thunder Revue deu mesmo um filme, escrito por Sam Sheppard, com o título “Renaldo and Clara” e lançado em 1978. Tinha quase quatro horas e juntava imagens captadas em concerto, entrevistas mas também pedaços ficcionados (um filme que acabou por ser mal recebido pelo público e pela crítica).

Scorsese já tinha assinado o documentário “No Direction Home”, de 2005, que recuperava a história inicial de Bob Dylan, focando-se sobretudo no perído entre 1965 e 1966, momento de transição e definição da personalidade artística do músico, compositor e escritor (e prémio Nobel da Literatura), até ao momento em que se retirou temporariamente dos palcos e do olhar público, depois de um acidente de mota.

[o trailer de “No Direction Home”:]

Também sobre Dylan está em produção um filme de Luca Guadagnino (o realizador de “Call Me By Your Name” e “Suspiria”) baseado no álbum de 1975, Blood on the Tracks. Richard LaGravenese é o argumentista de serviço.

Bob Dylan passa pelo Porto a 1 de maio, onde dá um concerto no coliseu, espectáculo que entretanto já esgotou todos os bilhetes.

Bob Dylan no Coliseu do Porto a 1 de maio