Open da Austrália

Histórico: João Sousa chega pela primeira vez às meias-finais do Open da Austrália em pares

6.967

João Sousa tornou-se esta madrugada o primeiro jogador português de sempre a atingir as meias-finais do Open da Austrália em pares, após vencer com Leonardo Mayer a dupla Raven Klaasen-Michael Venus.

João Sousa tornou-se o primeiro jogador português de sempre a chegar às meias de um Grand Slam (em pares ou singulares)

Getty Images

A comunicação com Leonardo Mayer melhorava com o passar dos jogos, a parte tática continuava a evoluir em court e houve ainda pelo meio o primeiro dia de descanso desde que começou o torneio, por já não estar não nos singulares. Pareciam estar criadas todas as condições para que João Sousa escrevesse um pouco mais de história neste Open da Austrália e o português superou essas expetativas, tornando-se esta madrugada (início da tarde no horário local) o primeiro jogador nacional de sempre a conseguir alcançar as meias-finais do quadro de pares em Melbourne e num Grand Slam.  

Na Margaret Court Arena, João Sousa, que faz dupla como é habitual nos torneios do Grand Slam com Mayer, venceu os sextos cabeças de série em prova, o sul-africano Raven Klaasen e o neozelandês Michael Venus, por 6-4 e 7-6, com 8-6 no tiebreak, em pouco mais de hora e meia. Desta forma, a dupla luso-argentina conseguiu “vingar” a derrota que tinha sofrido nos oitavos de final do último torneio de Wimbledon, após uma maratona decidida apenas em cinco sets (parciais de 3-6, 6-7, 7-6, 7-6 e 3-6).

Sousa e Mayer tornaram-se os primeiros a confirmar a presença nas meias-finais, aguardando o desenrolar dos outros três encontros relativos aos quartos de final do Open da Austrália em pares. No apuramento para o jogo decisivo, a dupla luso-argentina irá defrontar os vencedores do jogo que colocará frente a frente o britânico Jamie Murray – irmão mais velho de Andy Murray – e o brasileiro Bruno Soares (terceiros cabeças de série e vencedores do Open da Austrália e do US Open em 2016) com o finlandês Henri Kontinen e o australiano John Peers, 12.º cabeças de série e vencedores do Open da Austrália em 2017.

Único jogador do top 40 em singulares e pares ainda presente na competição, João Sousa já tinha na passada ronda igualado o melhor registo de sempre em termos pessoais e nacionais num Grand Slam, depois de ter alcançado em 2015 os quartos de final do US Open também com Mayer (derrota frente aos americanos Steve Johnson e Sam Querrey por 6-3 e 6-4). No Open da Austrália, Nuno Marques, então com o belga Tom Vanhoudt, chegou também aos últimos oito em prova no ano de 2000, caindo na altura frente aos australianos Mark Woodforde e Todd Woodbridge com os parciais de 6-3 e 6-2. Nos singulares, o vimaranense tem como melhor registo pessoal e nacional a quarta ronda alcançada no ano passado no US Open.

Sousa e Mayer tinham conseguido chegar pela primeira vez aos quartos de um Grand Slam em 2015, no US Open; agora superaram o registo

Nas rondas anteriores, Sousa e Mayer tinham começado por eliminar os espanhóis Feliciano López e Marc López (6-4, 6-7 e 6-3), seguindo-se nova vitória contra o espanhol Roberto Carballes Baena e o russo Andrei Rublev (7-6 e 6-3). Na terceira ronda, a dupla luso-argentina bateu o argentino Máximo González e o chileno Nicolás Jarry (6-3 e 6-4), que antes tinham afastado os primeiros cabeças de série, o austríaco Oliver Marach e o croata Mate Pavic, vencedores em 2018.

Recorde-se que, no quadro de singulares deste Open da Austrália, João Sousa tinha começado por vencer o argentino (e também companheiro de equipa em alguns torneios do circuito em pares) Guido Pella por 7-6, 4-6, 7-6, 4-6 e 6-2, ganhando a seguir ao alemão Philipp Kohlschreiber de novo em cinco sets (7-5, 4-6, 7-6, 5-7 e 6-4). Na terceira ronda, o português foi afastado pelo japonês Kei Nishikori, nono jogador do ranking mundial e oitavo cabeça de série, por 7-6, 6-1 e 6-2, igualando dessa forma os melhores registos que tinha alcançado no Open da Austrália, em 2015 e 2016.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)