Os três grandes grupos alemães e a Ford uniram esforços para criar uma rede eléctrica privada europeia de estações de carga para veículos a bateria. A joint-venture, denominada Ionity, além de alimentar os veículos das diferentes marcas integradas no consórcio, pressupõe servir o mercado, de forma a viabilizar o volumoso investimento efectuado. Tanto quanto conseguimos apurar, cada posto de carga exige um investimento próximo dos 200.000€ e são vários os postos em cada estação.

A Ionity nasceu com dois objectivos, sendo o primeiro servir os clientes, pois sem uma rede eficaz e abrangente de postos de carga rápida será muito difícil convencer os consumidores a adquirir um automóvel eléctrico. Por outro lado, visa anular a vantagem que a Tesla possui de momento nesta matéria, com a empresa americana a possuir já mais de 1.500 estações espalhadas pelo mundo, com cerca de 13.000 postos de carga, dos quais 430 estações e 3.600 postos estão localizados na Europa. Contudo, estes são exclusivos dos clientes da marca, comercializando energia por valores muito mais acessíveis do que os previstos pela Ionity.

A grande vantagem desta rede eléctrica tem a ver com a sua elevada potência, até 350 kW, o que reduzirá o tempo necessário para recarregar as baterias, tornando mais rápidas as viagens através dos diferentes países europeus. Em Espanha e Portugal ainda não há Ionity, com a exploração a ter sido entregue à Cepsa.

Depois de ter anunciado a criação de 400 estações de carga na Europa até 2020, sem menção ao número de postos, a Ionity anunciou ter construído 51 num período de oito meses, com outras 43 a encontrarem-se em diferentes fases de construção. Curiosamente, no mesmo período, a VW, sozinha, instalou 90 estações da sua rede Electrify America, em que 500 é o objectivo.