O consumo de álcool em Portugal é superior ao que foi registado na Rússia. Em média, cada português consome 12,3 litros por ano, ao passo que cada russo bebe 11,7 litros por ano. Ambos estão acima da média da região europeia, que se situa nos 9,8 litros por ano. Ainda assim, os dados revelados pela OMS, relativos ao ano de 2016, comprovam que o consumo tem vindo a diminuir em todos os países europeus.

Esta ultrapassagem, noticiada na edição desta terça-feira do jornal Público, acontece sobretudo devido à redução do consumo de álcool entre os russos. Naquele país, foram implementadas várias medidas dissuasoras para reduzir o consumo per capita. Uma atuação que a OMS gostava de ver replicada em vários países que se mantêm acima da média, como Portugal.

Citada pelo diário, a OMS pede que em Portugal se olhe para o estrangeiro para reduzir o consumo. E dá exemplos: aumentar a taxação sobre as bebidas alcoólicas ou estabelecer preços mínimos são algumas das ideias deixadas pela representante portuguesa Carina Ferreira Borges. Além destas medidas, sugere ainda que se reduza a exposição à publicidade e ao marketing das bebida com teor alcoólico.

Mas nem todos os números são negativos. Apesar de Portugal estar acima da média no que ao consumo per capita diz respeito, não se pode dizer o mesmo dos dados relativos às mortes motivadas pelo álcool. Por cada milhão de mortes, 282 são provocadas pelo consumo alcoólico. Já na União Europeia, a média fica nas 383 mortes por cada milhão.