Venezuela

Venezuela reforça presença militar junto à fronteira com a Colômbia

A Venezuela mantém uma "presença reforçada" na fronteira com a Colômbia desde que começou a ser armazenada parte da ajuda humanitária na cidade limítrofe de Cúcuta, assegurou o ministro da Defesa.

A cidade colombiana de Cúcuta conta com o primeiro de três centros de armazenamento onde está a ser colocada a ajuda

Mauricio Duenas Castaneda/EPA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

A Venezuela mantém uma “presença [militar] reforçada” na fronteira com a Colômbia desde que começou a ser armazenada parte da ajuda humanitária na cidade limítrofe de Cúcuta, assegurou esta segunda-feira o ministro da Defesa venezuelano, Vladimir Padrino.

Em declarações aos jornalistas após participar numa cerimónia militar, o ministro da Defesa referiu-se a uma “presença reforçada em toda a fronteira, não pelo ‘show’ da ajuda humanitária (…) mas por todos os delitos que se cometem e todos os males provenientes da República da Colômbia”.

Juan Guaidó, reconhecido pelos Estados Unidos e a maioria dos países da União Europeia (UE) como Presidente interino da Venezuela, lidera uma operação para fazer chegar à Venezuela ajuda humanitária enviada por uma coligação internacional.

A cidade colombiana de Cúcuta, onde se sitiam as principais passagens fronteiriças com a Venezuela, conta com o primeiro de três centros de armazenamento onde está a ser colocada a ajuda, incluindo alimentos e medicamentos.

No entanto, a Guarda Nacional Bolivariana (GNB, polícia militarizada) bloqueou a ponte de Tienditas, uma moderna infraestrutura ainda não estreada que une os dois países e por onde deveria transitar a ajuda.

Antes do início do armazenamento, Vladimir Padrino considerou que essa ajuda é um ‘show’ e sublinhou que “caso houvesse um ápice de seriedade, tanto jurídica como do ponto de vista internacional, de boa vontade, de boa fé”, encararia a situação “de uma forma distinta”.

[A ajuda humanitária] é uma aberração. Pretende fazer-se chantagem com a Venezuela com este tema”, susteve Padrino, que liderou um ato com militares onde foi assinada uma carta promovida pelo Presidente Nicolás Maduro para pedir aos Estados Unidos que não concretizem uma intervenção militar na Venezuela.

O ministro da Defesa justificou ainda o encerramento da fronteira comum “pelos males provenientes da Colômbia”, referindo em concreto ao “contrabando, narcotráfico e grupos paramilitares”.

Em paralelo, María Teresa Belandria, a nova “embaixadora” da Venezuela no Brasil, designada por Juan Guaidó, apresentou hoje as suas credenciais ao Governo de Jair Bolsonaro e disse que vai coordenar “desde já” a entrega de ajuda humanitária ao seu país.

Em Brasília, María Teresa Belandria, designada pelo presidente da Assembleia Nacional, Juan Guaidó a “representante diplomática” da Venezuela, disse aos jornalistas que se começa a “avançar para uma relação política plena com o Governo do Brasil”, comprometendo-se a “dar todo o apoio possível” para a instalação de um centro de armazenamento de ajuda humanitária na fronteira com a Venezuela”.

A representante de Guaidó, que se autoproclamou Presidente da Venezuela em 23 de janeiro, indicou que a ajuda humanitária foi o principal ponto na reunião que manteve com o chefe da diplomacia brasileira, Ernesto Araújo, que recebeu as suas credenciais.

“Neste momento damos total prioridade à ajuda humanitária” porque “os venezuelanos necessitam medicamentos e alimentos com urgência”, disse Belandria, antes de assinalar que o centro de armazenamento vai situar-se no Estado de Roraima, no norte do Brasil e fronteiriço com a Venezuela.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
CDS-PP

O governo merece uma censura /premium

João Marques de Almeida

Se o Presidente, o PM e os partidos parlamentares fossem responsáveis e se preocupassem com o estado do país, as eleições legislativas seriam no mesmo dia das eleições europeias, no fim de Maio. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)