Enfermeiros

“Tranquila mas com muito frio”. Como foi a primeira noite do enfermeiro em greve de fome (que teve a companhia de outros colegas)

2.351

Carlos Ramalho continua no jardim, em Belém, enquanto espera pela ação de Marcelo Rebelo de Sousa. O Presidente da República disponibilizou a sua equipa médica ao enfermeiro, caso seja necessário.

Carlos Ramalho iniciou uma greve de fome esta quarta-feira ao meio-dia

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Não passou a noite sozinho. Carlos Ramalho, presidente do Sindicato Democrático dos Enfermeiros Portugueses (Sindepor), teve a companhia de outros colegas de profissão, naquela que foi a primeira de um número (para já, indefinido) de noites no jardim em frente à residência oficial do Presidente da República no Palácio de Belém, onde ali deu início a uma greve de fome na quarta-feira.

Os que não pernoitaram ao lado dele foram aparecendo e passando algum tempo para lhe fazer companhia — o suficiente para Carlos Ramalho perceber que tem o apoio dos enfermeiros. “Sem dúvida”, disse ao Observador esta manhã de quinta-feira.

Houve colegas que passaram a noite comigo e agora de manhã foram trabalhar. Os enfermeiros estão habituados a isto! Outros passaram aqui de madrugada, antes de irem para o trabalho”, contou em declarações ao Observador.

Descreve a noite como “tranquila mas com muito frio”. Quando esta quarta-feira, anunciou que ia começar uma greve de fome referiu que seria por tempo indeterminado. Apesar do frio, não pensa, para já, desistir. “Não posso!”, dispara Carlos Ramalho, acrescentando: “Os enfermeiros estão a contar comigo”. Minutos antes de chegar ao jardim, o presidente do Sindepor disse ao Observador que ia resistir até onde pudesse. “A minha capacidade mental está inteiramente ao dispor desta luta”, acrescentou ainda.

Carlos Ramalho confirmou ainda o que foi esta manhã publicado na página oficial da Presidência: que Marcelo Rebelo de Sousa tinha disponibilizado a sua equipa médica  “para acompanhar o Senhor Enfermeiro”, lê-se na nota publicada na página oficial da Presidência, caso fosse necessário. “Vieram oferecer-me os seus serviços”, explicou o presidente do Sindepor ao Observador.

Marcelo Rebelo de Sousa está em Madrid, em Espanha, na inauguração do centro de operações logísticas de uma empresa portuguesa mas garante que está a acompanhar a greve de fome de Carlos Ramalho, que espera que o Presidente da República seja sensível à luta dos enfermeiros. Isto apesar de o chefe de Estado já ter dito estar à espera da decisão do Supremo Tribunal Administrativo, ao qual o Sindepor apresentou uma intimação sobre a requisição civil dos enfermeiros, antes de tomar posição. A Casa Civil recebeu nesta quarta-feira a direção do Sindepor, mas Carlos Ramalho não esteve presente. Ao Observador, diz que, “com todo o devido respeito”, prefere expor as suas reivindicações diretamente a Marcelo Rebelo de Sousa.  “Se o Sr.Presidente tivesse estado na reunião, eu teria ido, claro”, garantiu.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: cbranco@observador.pt
Demografia

Envelhecimento e crescimento económico /premium

Manuel Villaverde Cabral

Nada é mais importante para países como Portugal do que o imparável envelhecimento da população e as suas consequências a todos os níveis da sociedade, da saúde ao potencial de crescimento económico.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)