O técnico do Desportivo de Chaves, José Mota, espera um jogo “bastante interessante” na receção ao Sporting e vê qualidade e capacidade para “ombrear” com o adversário, no sábado, na 27.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

“É um encontro em que temos de perceber que temos muito a ganhar. O grupo tem-se preparado muito bem, está com entusiasmo e tem assimilado tudo o que pretendemos”, destacou esta sexta-feira o treinador do emblema de Trás-os-Montes, em conferência de antevisão à receção ao Sporting, quarto classificado do principal escalão, com 55 pontos, no sábado, às 18 horas.

Garantindo que os jogadores têm o conhecimento de todo o potencial individual e coletivo dos leões, José Mota espera um encontro bastante interessante e vê a sua equipa, que ocupa o penúltimo lugar da tabela com 24 pontos, a ombrear com o adversário na luta pelos três pontos. Para o técnico de 55 anos, o jogo é de “importância extrema para os dois emblemas”, reconhecendo que a sua equipa “precisa de pontos” para sair dos lugares de descida.

Temos preparado este jogo ao pormenor, para que os jogadores se possam identificar com o adversário. São muitos os jogos que ainda faltam, mas o que conta neste momento é pensarmos exclusivamente no Sporting”, vincou.

Apesar da classificação atual, o Chaves é 17.º e penúltimo classificado, José Mota lembrou que os transmontanos estão “muito próximos” dos adversários diretos, graças à vitória no terreno do Desportivo das Aves, na jornada anterior, que marcou a estreia do técnico no comando do Desportivo de Chaves. “Sem essa vitória estaríamos neste momento a oito pontos do Desportivo das Aves e outros adversários, o que era significativo nesta fase do campeonato. Com este passo em frente, o grupo ficou motivado e percebeu que estamos próximos dos objetivos”, analisou, alertando para uma série de confrontos diretos até final da I Liga.

José Mota elogiou ainda a “envolvência” do grupo de trabalho, que considera excelente, na semana de preparação do encontro frente ao Sporting, garantindo que os flavienses estão preparados para fazerem um “bom jogo” e proporcionarem um bom “espetáculo”.

Após a primeira vitória ao serviço do Desportivo de Chaves, o terceiro técnico da época, depois de Daniel Ramos e Tiago Fernandes, teve ‘direito’ a uma pausa na competição, para os jogos das seleções, paragem essa que não considera “benéfica nesta fase do campeonato”. “A pausa permitiu conhecer os futebolistas, não na sua qualidade individual, mas em termos de personalidade, para trabalhar aspetos mentais e nos debruçarmos nas características que podem influenciar pela negativa”, destacou.

A possível ausência, por lesão, do médio Bruno Fernandes na equipa lisboeta não influência a estratégia dos flavienses para o encontro, pois José Mota espera sempre um Sporting “muito forte” em Chaves. “O Bruno [Fernandes] é um jogador fundamental, no campeonato português e no Sporting, pois tem uma série de valias e características que há em poucos jogadores, mas enquanto treinador o que preocupa é a equipa, não um jogador”, atirou, garantindo estar preparado para “ambas as circunstâncias” e à espera de um jogo de grau de dificuldade “elevado”.

O treinador do conjunto de Chaves, que não divulgou a lista de convocados, não pode contar com o defesa Nuno André Coelho e com os médios Erdem Sen e Filipe Melo, por lesão.

O emblema de Trás-os-Montes, além de doar mais de quatro mil peças de material desportivo, vai promover a recolha de medicamentos e outros bens para Moçambique, país afetado pelo ciclone Idai, na receção ao Sporting, colocando contentores para o depósito destes bens nas portas de cada uma das bancadas e José Mota apelou à solidariedade de todos os adeptos. “Toda a ajuda que possamos dar é pouca e espero que todos possam contribuir”, realçou.

O Desportivo de Chaves, 17.º e penúltimo classificado, recebe no sábado, às 18h, o Sporting, quarto colocado com 55 pontos, em encontro da 27.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, que se realiza no Estádio Municipal Eng.º Manuel Branco Teixeira, em Chaves.